Geração Z influencia decisão de compra de seus pais

0 77

O relatório “Consumer View”, realizado pela National Retail Federation (NRF – Federação Nacional de Varejo dos EUA), analisou a influencia dos filhos nas compras dos pais. 87% dos pesquisados afirmam que seus filhos influenciam suas compras de alguma forma. De acordo com a pesquisa, o principal momento para os pais envolverem os filhos é na hora de realizar pesquisas e análises de produtos, verificando preços ou consultando a disponibilidade dos itens buscados.

As justificativas para o fenômeno variam. 57% dos pais relataram que envolvem os filhos nas decisões de compra porque eles usarão o item ou porque a opinião deles é importante. Outros 56% utilizam a ocasião para ensiná-los a tomar decisões. “Estamos vendo uma mudança na maneira como as famílias compram, onde as crianças estão muito mais envolvidas com as decisões de compra”, disse Mark Mathews, vice-presidente de desenvolvimento de pesquisa e análise da indústria.

A Geração Z, nascida em meados dos anos 1990 até 2010, influencia os pais na escolha da marca e nas características dos produtos, além do varejista escolhido para a realização da compra. 48% das compras feitas especificamente para crianças da Geração Z são influenciadas pela demografia, enquanto 36% das aquisições domésticas são influenciadas por essa geração.

Os pais e os filhos da Geração Z compram juntos de várias maneiras. 69% dos pais pesquisados afirmam envolver seus filhos nas decisões de compra enquanto olham produtos na loja física, enquanto 67% disseram que olham produtos online, de acordo com o relatório da NRF. Isso acompanha o que tem sido visto nos últimos anos, à medida que cresce o interesse nessa geração jovem.

A Geração Z gosta de ir a lojas físicas, pois deseja avaliar uma seleção com curadoria e concluir a compra com a gratificação imediata de escolher um item e levá-lo para casa.

A NRF destacou alguns varejistas que vêm realizando tentativas de envolver a Geração Z e seus pais, incluindo os planos da Disney de abrir lojas de brinquedos de “varejo” em unidades da Target, que fornecem exibições interativas, músicas, estações de fotos e clipes de filmes ao lado das mercadorias.

A organização também apontou para o Walmart, que pediu que as crianças testassem seus brinquedos para a próxima as festas de fim de ano e o Aeropostale, que oferece uma lista de desejos online que os filhos podem compartilhar com os pais. Ao incentivar “compras familiares com tudo incluído”, como define a NRF, os varejistas podem capitalizar a influência que as crianças exercem sobre os gastos familiares.

Nesse sentido, mais de quatro em cada cinco pais disseram que têm mais probabilidade de comprar em um varejista que facilita o envolvimento de seus filhos e 80% dos entrevistados disseram que desejam que os varejistas facilitem o envolvimento de seus filhos nas decisões de compra.

Fonte Mercado & Consumo
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.