Consumidores não conseguem comprar 46% dos produtos de alimentos e bebidas que desejam

0 166

Um estudo analisou produtos de sete categorias consideradas essenciais para os consumidores em virtude da pandemia: Alimentos e Bebidas, Bebês, Beleza e Perfumaria, Cuidados Diários, Pet Shop, Saúde e Utilidades Domésticas. Segundo o levantamento, a categoria que obteve o pior desempenho no e-commerce foi de Alimentos e Bebidas.

Problemas na disponibilidade de produtos

Apenas 54% dos produtos de cesta básica dos brasileiros estão disponíveis para a compra online. Isso demonstra que os consumidores não conseguem comprar 46% dos produtos que desejam relacionados. Nessa categoria (Alimentos e Bebidas) há itens de bebidas alcoólicas e não alcoólicas, biscoitos e aperitivos, cereais, doces e sobremesas, laticínios e mercearia.

Das demais categorias analisadas, apenas 63% dos produtos de Utilidades Domésticas estão disponíveis para a compra. Estão seguidos por Beleza e Perfumaria, com 66%, e Bebês, também com 66%.

Alteração nos preços

Dentre as sete categorias analisadas, produtos de Utilidades Domésticas — ou seja, itens de limpeza e utensílios domésticos — tiveram um acréscimo no preço de 24% no período de 1º de janeiro a 26 de março de 2020. Em seguida, aparecem Alimentos e Bebidas com 10% e Saúde, também com 10%.

Por outro lado, produtos do mercado Pet tiveram aumento de apenas de 1% em relação ao preço e itens de Beleza e Perfumaria se mantiveram com os mesmos valores. Os melhores resultados estão em Saúde e Pet Shop, que possuem 68% dos produtos disponíveis para o consumidor realizar a compra.

Os dados fazem parte do estudo E-commerce Quality Index (EQI) de Preço e Disponibilidade de Estoque, da Lett. Ele dispõe uma análise de 182 lojas online e 5.882 produtos diferentes — foi realizado de 1º de janeiro à 26 de março de 2020.

Um site para o consumidor comprar o que precisa

Analisando esses dados e percebendo a dificuldade que os consumidores estão para comprar produtos essenciais durante a quarentena, a Lett usou o estudo para criar o site Guia Onde Comprar.

Nele, segundo a empresa, a população consegue adquirir os itens que mais precisa durante a pandemia, consultando as lojas online que têm os produtos disponíveis.

Fonte e-commerce brasil
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.