Supermercados devem crescer 4,5% em 2013

0 53

Ao final de 2012 e início de 2013, a expectativa inicial da Associação Paulista de Supermercados (APAS) no que diz respeito ao crescimento para este ano no setor supermercadista girava em torno de 5 a 5,5%. Entretanto, o processo inflacionário que assolou a economia brasileira ao longo do primeiro semestre impactou diretamente no poder de compra da população e, consequentemente, as vendas sofreram um decréscimo em virtude da alta generalizada dos preços, o que trouxe novas projeções para o fechamento do ano. Neste contexto, a expectativa de crescimento para o setor, já no mês de maio, girava em torno de 4,5%, o que deve ser confirmado até o final de 2013. Até o momento, o setor supermercadista apresenta um crescimento real aproximado de 3% em relação a 2012.

Abaixo, a APAS apresenta uma projeção sobre alguns dos produtos mais comercializados nesta época do ano:

Carnes bovinas
Os preços devem apresentar um decréscimo de 2% em relação a 2012. Este resultado está diretamente relacionado à maior disponibilidade do produto no mercado interno – diante do crescimento da demanda internacional, porém, ainda abaixo do seu potencial, em virtude do cenário econômico mundial incerto. A expectativa de redução dos preços só não foi maior, uma vez que alguns fatores relacionados à oferta e disponibilidade das carnes afetaram o setor neste ano, tais como o aumento do preço internacional do trigo e a desvalorização cambial, que afetaram o preço deste produto, que, por sua vez, é importado e serve de base para a ração animal dos bovinos.

Carnes suínas
Os preços devem apresentar um decréscimo de 1% em relação a 2012. Este resultado está diretamente relacionado à maior disponibilidade do produto no mercado interno – diante do crescimento da demanda internacional, porém, ainda abaixo do seu potencial, em virtude do cenário econômico mundial incerto. A expectativa de redução dos preços só não foi maior, uma vez que alguns fatores relacionados à oferta e disponibilidade das carnes afetaram o setor neste ano, tais como o aumento do preço internacional do trigo e a desvalorização cambial, que afetaram o preço deste produto, que, por sua vez, é importado e serve de base para a ração animal dos suínos.

Aves
Os preços devem apresentar um acréscimo de até 4% em relação a 2012. Este resultado está diretamente relacionado aos custos de produção – que se elevaram ao longo de 2013 -, em virtude do aumento nos custos da ração destes animais, aliado ao aumento na demanda no mercado interno.

Pescados

Os preços devem apresentar um acréscimo de até 3% em relação a 2012. Este resultado também está diretamente relacionado aos fatores de produção. Porém, vale ressaltar que o preço será elevado em uma proporção muito inferior a inflação brasileira no período – estimada em torno de 6%.

Panificados
Os preços devem apresentar um acréscimo de até 10% em relação a 2012. Este resultado está diretamente relacionado aos custos de produção advindos do aumento do preço do trigo, da mão de obra e demais custos de produção, tais como aluguel, entre outros. Desta forma, será um dos itens com maior índice de reajuste.

Frutas
Os preços devem apresentar um acréscimo de até 7% em relação a 2012. De modo geral, os itens relacionados às festas de fim de ano terão um aumento próximo ao verificado no índice oficial de inflação brasileira (IPCA), algo em torno de 6%. Este resultado exclui determinados produtos que apresentam demanda sazonal mais elevadas, tais como as frutas de época.

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.