Preços dos ovos de Páscoa podem variar 354%, diz Procon

0 48

Os preços dos ovos de chocolate vendidos na Páscoa podem variar 354,16%. Segundo um levantamento realizado pelo Procon-SP, os preços médios do quilograma do produto variam entre R$ 112,25 e R$ 509,80. Com isso, o valor médio do preço é de R$ 242,34.

Os produtos licenciados são os mais caros. O ovo do youtuber Luccas Neto (vendido pela Accor), por exemplo, 100 gramas custam R$ 50,98 ou seja, um quilograma custa R$ 509,80. O preço mais baixo é o ovo Favoritos da Lacta, já que 650 gramas custam R$ 72,96 e o quilograma, R$ 112,25.

*Vale destacar que o Procon faz uma coversão para um quilograma de todos os ovos analisados para efeitos comparativos, pois os valores não estão disponíveis nos sites.

Outros produtos

Além do ovo de chocolate, o Procon analisou os preços dos bolos de Páscoa, caixas de bombons, tabletes de chocolate, de diversas marcas, tipos e modelos.

Entre os bolos, os preços médios variam de R$ 27,63 e R$ 39,58, uma diferença de 43,25%. O valor médio do preço deste grupo de produtos por quilo foi de R$ 36,26.

Nos tabletes de chocolate, em um quilograma, os preços médios vão de R$ 26,89 a R$ 81,53, ou seja diferença de 203,20%. O valor médio do preço deste grupo de produtos por quilo foi de R$ 60,62.

Já nas caixas de bombom, em quilograma, os preços médios variam entre R$ 34,00 e R$ 297,53, uma diferença de 775,09%. Por quilo, o valor médio do preço deste grupo foi de R$ 113,55.

Orientação do Procon-SP

A orientação do Procon-SP é que os consumidores façam uma comparação entre os preços praticados por diferentes estabelecimentos, ainda que lojas virtuais, considerando a relação qualidade, peso e preço do item a ser adquirido. Nas lojas virtuais, é fundamental também comparar o preço do frete.

Além disso, é fundamental que a pessoa no momento da compra verifique com atenção o prazo de validade, a composição e o peso líquido do produto.

Os ovos de Páscoa que trazem brinquedos em seu interior devem apresentar em sua embalagem a frase “Atenção: contém brinquedo certificado no âmbito do Sistema Brasileiro da Avaliação da Conformidade”. Também é obrigatória a indicação de faixa etária ou, se for o caso, frase que informe que não existe restrição de faixa etária. O brinquedo deve ter o selo do Inmetro em sua embalagem, identificação do fabricante ou importador (nome, CNPJ, endereço), instruções de uso e de montagem, quando for o caso, e eventuais riscos que possam apresentar à criança.

 

Fonte Exame.com
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.