Totvs – 728 x 90

Novos hábitos do consumidores e tecnologias impactam o setor supermercadista

0 1.391

Responsável por um terço do faturamento do varejo no Estado de São Paulo, o setor de supermercados tem se modificado ao longo dos anos para acompanhar novas tecnologias e novos hábitos dos consumidores.

Um segmento que tem se destacado recentemente são as lojas de conveniência e de vizinhança. Nos últimos cinco anos, a abertura de empreendimentos desse tipo cresceu 400%, de acordo com a empresa de pesquisa de mercado Euromonitor Internacional. Grande parte desses estabelecimentos se localizam nas metrópoles, onde a dinâmica das pessoas exige rapidez no atendimento.

O “atacarejo” também está em alta e o  segmento cresceu 60% de 2013 a 2016. Embora a maior parte dos consumidores seja da classe C (47%), a participação de clientes das classes A e B cresceu significativamente no período, atingindo 33%.

Em contrapartida ao crescimento das lojas físicas de supermercados, as compras pela internet ainda são muito baixas. Entre 2014 e 2016, o porcentual de pessoas que diziam efetuar compras online passou de 1% para 2%. O que se percebe é que o preço baixo, a qualidade e o frescor dos produtos – sobretudo carnes, frutas, legumes e verduras – continuam sendo os fatores mais importantes nas decisões de compra. Com isso, para o consumidor, é importante visualizar os itens antes de adquiri-los, principalmente os alimentos perecíveis.

Vale notar que as novas tendências trazem oportunidades para os empresários do setor. Uma delas é a possiblidade de lançar marcas próprias. Esse investimento permite ter mais maleabilidade sobre a formação de preços e pode ser usado em aplicativos de descontos, favorecendo a fidelização de clientes.

No gerenciamento dos negócios, é importante ficar atento às perdas e quebras de produtos. Os mais variados tipos de perdas somam, em média, 2,2% dos gastos do segmento, porcentual superior ao de despesas como aluguel de imóveis (1,25%), administradora de cartão de crédito (1%) e energia elétrica (0,93%). Não é à toa que reduzir perdas e quebras de mercadorias é o objetivo de 25% dos supermercadistas neste ano, segundo pesquisa da Associação Paulista de Supermercados (Apas).

De todo modo, o receituário para aumentar a eficiência do negócio é se adaptar às novas tecnologias disponíveis e entender o comportamento do consumidor.

Fonte FecomercioSP
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.