Mesmo com Dia das Mães, e-commerce cresceu apenas 0,10% em maio

0 762

O Dia das Mães é uma data que impulsiona as vendas, mas o e-commerce brasileiro registrou apenas leve alta nas vendas ao comparar o mês de maio com abril: 0,10%. Usando a mesma base comparativa, o faturamento do setor cresceu 0,96%. Os dados são do índice MCC-ENET, desenvolvido pela Neotrust | Movimento Compre & Confie, em parceria com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net).

“Em que pese tenhamos observado um aumento significativo nas compras online nas semanas que antecede o Dia das Mães, a flexibilização das restrições ao comércio físico, e gradual abertura de lojas e shoppings centers no país, justifica uma leve retração em comparação com o ano anterior”, analisa Felipe Brandão, secretário executivo da camara-e.net.

Vendas online

Pela primeira vez, desde o lançamento do índice MCC-ENET (outubro de 2019), ao comparar o mesmo mês (maio) com o do ano anterior, este ano teve retração: (−9,10%). Porém, no acumulado do ano, as vendas seguem positivas: 14,07%.

Na avaliação por região do país, considerando a comparação entre maio e abril, os resultados foram: Nordeste (4,74%), Sul (4,28%), Norte (1,66%), Centro-Oeste (0,10%) e Sudeste (−1,96%).

No acumulado do ano, a configuração ficou da seguinte forma: Nordeste (29,95%), Centro-Oeste (29,15%), Norte (24,82%), Sul (16,95%) e Sudeste (8,66%).

Faturamento do e-commerce

Mesmo com a queda nas vendas online na avaliação entre maio de 2021 com o mesmo mês do ano passado, o faturamento do setor teve alta de 8,79%, segundo o levantamento.

A composição regional, usando como base comparativa maio com o mês de abril, ficou da seguinte forma: Nordeste (5,27%), Sul (4,28%), Norte (1,63%), Sudeste (−0,82%) e Centro-Oeste (−1,63%).

No acumulado do ano, os dados foram: Centro-Oeste (40,24%), Nordeste (40,05%), Norte (33,27%), Sul (28,30%) e Sudeste (19,40%).

Participação do e-commerce no comércio

Em abril de 2021, o e-commerce representou 12,8% do comércio varejista restrito (exceto veículos, peças e materiais de construção). No acumulado dos últimos 12 meses, a participação do e-commerce no comércio varejista corresponde a 10,9%. O levantamento destaca que esse indicador foi feito a partir da última Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada no dia 8 de junho.

Categorias

Em abril de 2021, a composição de compras realizadas pela internet, por segmento, ficou da seguinte forma: equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (43,2%); móveis e eletrodomésticos (27,3%); e tecidos, vestuário e calçados (10,3%). Na sequência, artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (7,3%); outros artigos de usos pessoal e doméstico (6%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,4%); e, por último, livros, jornais, revistas e papelaria (2,5%). Esse indicador também utiliza a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE como base.

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.