Cacau Show inaugura megastore com parque de diversões

O paulistano que vai esticar o feriado da Proclamação da República por aqui ou viajar para o interior terá uma nova opção de programa. A Cacau Show inaugura no próximo dia 16 uma megastore de 2 000 metros quadrados em Itapevi (na altura do quilômetro 35 da Rodovia Castelo Branco). O projeto consumiu um investimento de 7 milhões de reais e tem capacidade para receber até 1 000 visitantes por dia.

Mais da metade do espaço é ocupada por um miniparque temático, o Cacau Parque. Na entrada, há um carrossel com 7 metros de altura. Uma árvore e um urso falantes cumprimentam aqueles que chegam. Um vagão de trem se revela um cinema para dezesseis pessoas. As cadeiras se mexem e há simulação de neve.

No canto oposto, fica um museu que conta a história do chocolate. “A intenção é proporcionar momentos agradáveis, com preços acessíveis”, diz Alexandre Costa, presidente da Cacau Show. O ingresso custa 20 reais. Compras a partir de 50 reais darão direito a dois ingressos.

A megaloja vai oferecer experiências exclusivas. Por 7,90 reais, será possível customizar um tablete de 40 gramas. “Nele, dá para gravar nomes; depois da personalização, o produto se transforma em lembrancinha. Em até duas horas, podem-se fazer cinquenta barrinhas”, diz Costa. Outra novidade: o cliente poderá escolher os ingredientes e fazer a própria barra, de 500 gramas, por 49,90 reais.

Uma área de 10 metros quadrados funcionará como outlet; ali haverá artigos de linha, campanhas passadas e lançamentos com desconto de 10% a 50%. Em todo o espaço existem mais de 300 itens para qualquer bolso: de 75 centavos (um tablete de 5 gramas) a 800 reais (uma cesta).

De graça, o visitante conseguirá observar em uma vitrine todo o processo de fabricação. “O cliente pode comprar um chocolate assim que o doce sair da máquina”, afirma o presidente da Cacau Show. Pais e filhos aprenderão a fazer a guloseima em workshops. Cada tíquete para uma sessão custará entre 20 e 80 reais. Será possível também agendar uma festa por lá. Há um ambiente reservado para um bufê de até 100 pessoas, com preços a partir de 35 reais por convidado.

A cerca de meia hora da capital, o painel História do Cacau, do artista plástico Eduardo Kobra, sinaliza a entrada da superloja. A pintura, de 5 728 metros quadrados, deverá entrar para o Guinness Book.

Essa grandiosidade assinala o início das comemorações dos trinta anos da empresa. Em 1988, aos 17 anos, Costa deu os primeiros passos para criar a marca em sua residência, na Casa Verde, Zona Norte, vendendo seu chocolate de porta em porta. O empreendimento cresceu bastante, e hoje ele possui 2 050 lojas no país (198 aqui na capital). Em 2017, celebra um aumento de 20% no faturamento, que deve chegar a 3,5 bilhões de reais até dezembro. “Nada de crise, nosso negócio é só alegria”, diz Costa.

Atrações do pedaço

  • O ingresso para o parque custa a partir de 20 reais
  • Academia de Chocolate. No espaço, um profissional ensina adultos a fazer a harmonização das guloseimas com bebidas, e crianças a fazer o doce.
  • Brinquedos. Além dos tradicionais escorregadores e mesas para desenhar, há objetos interativos como uma árvore e um urso que “falam” com as crianças.
  • Carrossel. Com os clássicos cavalinhos e carruagens, mede 7 metros de altura.
  • Museu. Em um jogo coletivo, com portas abertas por meio de senhas, os convidados vão aprender sobre o produto.
  • Trem. No interior de um vagão, há um cinema que passará um filme de cinco minutos sobre a história da empresa. As cadeiras se mexem e há simulação de neve.

 

Fonte Veja SP
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.