Amazon está entregando alimentos vencidos, acusam consumidores

0 118

A Amazon está sendo acusada de comercializar produtos alimentícios estragados e com datas de validade expiradas. Pelas redes sociais, consumidores acusam a empresa de não tomar as providências necessárias e consultores alegam negligência por parte da gigante de tecnologia.

Segundo a CNBC, o problema está relacionado ao crescimento expansivo das vendas da marca nos últimos anos, sobretudo após a compra da Whole Foods, em 2017. A ampliação traz desafios.

Além dos produtos de tecnologia, o marketplace da Amazon também é composto por diversos revendedores de supermercado: mais de 2,5 milhões de empresas desse segmento utilizam o site para distribuição de produtos. Hoje, as mercadorias vendidas por elas representam mais da metade das vendas totais da companhia, diz a CNBC.

Por meio do site da Amazon, alguns clientes relataram o recebimento de alimentos vencidos há pelo menos 1 ano. Entre os principais alvos de reclamações estão produtos como molho picante, carne seca, barras de granola, leite de fórmula, comida para bebês, entre outros. Algumas avaliações também citam o recebimento de garrafas de água da marca Fiji recicladas e cheias de água da torneira. Apesar de não serem comercializados diretamente pela Amazon, os produtos expirados exibem uma falha no monitoramento e policiamento da qualidade dos produtos de distribuidores terceirizados, diz a Fast Company.

Uma empresa de análise de dados especializada no Amazon Marketplace analisou ainda os 100 produtos alimentares mais vendidos e descobriu que pelo menos 40% dos vendedores possuem mais de cinco reclamações a respeito de mercadorias vencidas.

Em resposta à CNBC, a Amazon disse que os vendedores externos devem fornecer à empresa as datas de validade dos produtos e devem se comprometer a não comercializarem itens com prazos de validade inferiores a 90 dias, a partir da data de venda. A empresa também afirma que os fatos foram incidentes isolados que não exigiram medidas coercivas contra os vendedores ou remoção de quaisquer produtos do site.

Para otimizar o processo de verificação dos comentários na plataforma, a Amazon se apoia na ação de moderadores humanos e no uso de inteligência artificial (IA). No entanto, vários consultores em segurança alimentar e comércio varejista disseram à CNBC que a Amazon precisa desenvolver novas estratégias para policiar o mercado com mais eficiência e melhorar a detecção de produtos questionáveis. Para eles, também é preciso uma aplicação rígida de penalidades quando revendedores fogem das regras e políticas da empresa.

Fonte época Negócios
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.