Assaí Atacadista é acusado de racismo; rede se posiciona

0 189

O Assaí Atacadista foi notificado pelo Procon-SP a prestar esclarecimentos após um consumidor formalizar uma denúncia de racismo. De acordo com a nota emitida pelo Procon-SP, ele relata que, na  segunda-feira (6/7), foi vítima de racismo ao ser abordado por seguranças no estacionamento da loja sob a suspeita de que ele estaria portando uma arma.

Na notificação, o Assaí deve esclarecer quais procedimentos foram adotados; os critérios de contratação dos serviços de segurança e qual a política interna de treinamento dos funcionários e prestadores de serviços quanto aos direitos e garantias dos consumidores.

A empresa deverá prestar as informações em 72 horas.

O Portal NEWTRADE procurou o Assaí Atacadista para ouvir o seu posicionamento e, em nota, a empresa disse que: “O Assaí informa que, tão logo tomou conhecimento sobre o ocorrido no dia 6 de julho, acionou imediatamente a loja de Mauá, iniciando assim um processo interno de apuração. A empresa fez ainda contato com o cliente Alan para se desculpar pela situação vivenciada por ele na loja e incluí-lo no processo de averiguação dos fatos. A partir das informações passadas por todos envolvidos e da checagem das imagens disponíveis, o Assaí concluiu que o fato do cliente sair pela porta de entrada do estabelecimento não justificou a abordagem no estacionamento pelo funcionário. Nestes casos, o procedimento correto é orientar o cliente a utilizar a porta de saída, se assim ele quiser. Dessa forma, o Assaí decidiu pelo desligamento do funcionário envolvido e reforçou com todo o time de lojas a conduta esperada no relacionamento com os clientes. O Assaí não tolera nenhuma atitude discriminatória ou desrespeitosa, o que está explícito em seu Código de Ética e na Política de Diversidade e Direitos Humanos da companhia. Qualquer denúncia contrária a essa orientação é rigorosamente apurada e, se comprovada a veracidade, são tomadas imediatamente as providências necessárias. A empresa fica ainda à disposição das autoridades para prestar qualquer esclarecimento adicional”. 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.