Uma gestão baseada em dados

0 963

Por Fatima Merlin*

 

No meu último artigo falei sobre algumas tendências e predições que, de fato, estão transformando as empresas que as praticam, dentre as quais, destaquei a gestão baseada em dados, tema que vale a pena ser explorado um pouco mais.

Considerando os diversos aspectos da atualidade, como a dinâmica e o ritmo acelerado do varejo, a transformação digital, as novas formas de operação, as novas exigências e necessidades dos consumidores, a redução das já “achatadas” margens, a sustentabilidade e a governança, entre outros, é cada vez mais complexa e desafiadora a tomada de decisões dos varejistas para a melhor gestão dos negócios.

Nesse contexto, orientar-se por dados passa a ser vital. Assim, ganha destaque a gestão baseada em dados. Uma gestão que se orienta pela grande quantidade e qualidade de informação – interna e externa – que temos à nossa disposição em nossa organização: análise de mercado, análise da concorrência, orçamentos, dados de cliente, desempenho da equipe, performance de operações, além de indicadores tributários, contábeis e fiscais.

Fátima Merlin, CEO da Connect Shopper

Para que a gestão baseada em dados seja feita de forma eficiente, é fundamental obter dados de qualidade. Para isso são necessários profissionais bem capacitados e investimentos em processos inteligentes e em tecnologia apropriada. Dessa forma é possível obter conhecimento sistematizado sobre as tendências, mercado, negócio, concorrentes, os consumidores e por aí vai. Mas, principalmente, é necessário adotar o compromisso interno da organização varejista para uma gestão efetiva desses indicadores.

O primeiro passo para uma gestão baseada em dados é, sem dúvida, determinar que dados são relevantes e construir indicadores essenciais para avaliar o desempenho atual da empresa e seu potencial de crescimento; para descobrir falhas e pontos de melhoria; e para reduzir custos, melhorar processos, controles e maximizar resultados. Assim é possível garantir decisões mais acertadas.

Mas não basta apenas “localizar os dados”, “acessá-los” ou “produzi-los”. Para realizar uma gestão baseada em dados, fazendo uso adequado e aproveitando todo potencial, é essencial, fazendo analogia com a mineração, “garimpá-los”, e, depois, como no caso do petróleo, “refiná-los”.

É crucial, portanto, sermos capazes de identificar e selecionar aquilo que, de fato, é mais relevante. E, ainda, termos a capacidade de interpretar e analisar corretamente, de maneira integrada, transformando os dados apurados em insights acionáveis para apoio à melhor tomada de decisão.

Lembrem-se: As nossas decisões definem o sucesso, a perenidade ou o fracasso de nossa empresa, e, uma gestão baseada em dados torna-se essencial para reduzir riscos no processo de decisão e contribuir para que os resultados sejam os melhores possíveis.

Acompanhem próximos artigos.

 

*Fátima Merlin É CEO da Connect Shopper, fundadora do grupo Mulheres do Varejo, conselheira, mentora, palestrante, mestre em comportamento do consumidor, especializada em varejo, gerenciamento por categoria e shopper, além de autora dos livros “Meu cliente não voltou, e agora?” e “Shoppercracia”; também é professora de Varejo, Pesquisa de Marketing e Comportamento do Consumidor e colunista do NEWTRADE. 

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.