Nos EUA, um a cada dez consumidores já realiza compras usando assistentes de voz

0 75

Um a cada dez consumidores americanos (9,6%) já utiliza assistentes de voz para fazer uma compra — um aumento de 25% em relação ao ano anterior. Esse dado faz parte do estudo anual da PYMNTS “How We Will Pay“, em colaboração com a Visa, que acompanha a evolução de como os meios digitais estão mudando nossos hábitos e preferências, examinando o uso crescente de dispositivos conectados e seu papel na facilitação do dia a dia da jornada de compras. O estudo, focado no público americano, também aborda tendências baseadas nos comportamentos atuais que podem ser replicados em outras regiões.

Os principais destaques da pesquisa incluem:

A voz tem se tornando essencial para o comércio

Os consumidores têm interagido com dispositivos habilitados para voz cada vez mais: três em cada 10 pessoas já possuem assistentes de voz. Essas interações vão além de checar a temperatura ou fazer uma chamada telefônica, muitos consumidores já usam tanto os dispositivos habilitados para voz em smartphones quanto em alto-falantes para fazer compras. Usam recursos de voz ao longo de toda sua jornada de compra, desde a pesquisa e comparação de características ou preços, até para adicionar produtos aos seus carrinhos virtuais. O recurso tem facilitado as experiências no momento do checkout, contribuindo para a realização efetiva da venda. O apetite dos consumidores por experiências de compras ativadas por voz está crescendo a cada dia.

Quase tudo pode se transformar em um ponto de venda

Objetos regulares, como TVs, espelhos e carros, transformaram-se em sistemas POS – tornando possível fazer compras de qualquer lugar a qualquer momento. De acordo com o estudo, um em cinco consumidores fez compras usando dispositivos conectados enquanto assistia TV (20%). Aproximadamente 76% dos entrevistados disseram que fazem pelo menos uma compra enquanto realizam outra atividade. Especificamente, 27% dos entrevistados dizem comprar enquanto jantam ou até mesmo durante o trabalho (19%).

 

Fonte e-commerce Brasil
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.