Justiça de SP condena Apple a retirar propaganda enganosa do mercado


Após uma ação promovida pela associação de consumidores Proteste, a Justiça de São Paulo determinou, na última terça-feira (11), que a Apple retire de circulação qualquer tipo de anúncio que constitui oferta enganosa sobre a memória oferecida no iPad Air, iPad Mini e iPhones 5 e 6.

A prática de propaganda enganosa foi identificada pela Proteste em outubro de 2015 nos seguintes produtos: iPad Air – 16 GB; iPad Air 2 – 16, 32 e 64 GB; iPad Mini 2 16, 32 e 64 GB; iPad Mini 3 16 e 64 GB; iPhone 5 S – 16, 32 e 64 GB e iPhone 6 – 16, 64 e 128 GB. A ação judicial foi movida no mesmo período.

De acordo com a associação, a Apple colocou os produtos à venda prometendo capacidade de armazenamento real inferior à prometida. Ou seja: o armazenamento total do disco rígido, que é o divulgado para o usuário, não está disponível inteiramente para o mesmo, já que uma parte do espaço é utilizado para o sistema operacional da empresa.

O prazo para retirada das ofertas enganosas é de 30 dias. A partir disso, as ofertas da empresa devem informar a capacidade de memória real de todos os produtos: segundo a determinação, a Apple deverá informar a memória “bruta” e “utilizável” do aparelho. Caso a empresa não cumpra a decisão, ela terá de pagar multa diária de R$ 100 mil. A decisão ainda pode ser recorrida.

Em sua defesa, a Apple alegou que a pare da memória dos produtos é, de fato, utilizada para funções operacionais e parte para armazenamento, o que diminui o espaço disponível. Ela afirma, que não é possível, entretanto, determinar quanto da memória será utilizada para esses fins.

A empresa ainda afirmou que os aparelhos têm a capacidade informada e que, em seu site, comunica aos usuários sobre as capacidades de armazenamento técnico, tal como todas as empresas que comercializam estes tipos de produtos.


Fonte InfoMoney

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.