Investimento em transformação digital cresce 87% entre os varejistas brasileiros

0 782

A terceira Pesquisa da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) em parceria com Oasis Lab Innovation Space, com o tema “Transformação Digital no Varejo Brasileiro” faz uma radiografia dos investimentos em transformação digital, da automação e treinamento dos funcionários nas empresas do varejo brasileiro, assim como do uso das ferramentas de inteligência artificial nos pontos de venda.

O aumento de 87% no investimento em Transformação Digital (TD), ou 0,73% sobre o faturamento bruto das empresas varejistas, está entre os principais destaques da pesquisa. Para as empresas do varejo, os investimentos em ferramentas utilizadas para a contribuição na transformação digital nas lojas físicas traduzem em melhora da experiência e em auxiliar a tomada de decisão do consumidor. Esses investimentos em TD, segundo os varejistas entrevistados, resumem-se em aumento do faturamento em vendas e aumento do engajamento do consumidor principalmente em canais digitais.

Ainda de acordo com a análise feita pela SBVC, 97% dos varejistas acreditam que líderes são cocriadores, e trabalham em parceria com seus funcionários. Outro tema que têm atenção especial dos varejistas é o trabalho remoto, ou “home office”, que, em relação aos anos anteriores passou de 23% em 2019; 62% em 2020, para 85% em 2021 das empresas que fazem seu uso.

Em relação às principais ferramentas de TD utilizadas no atendimento ao consumidor, estão soluções em meios de pagamento (94%) e análises de dados no ambiente online (77%). Soluções em logística (51%) é destacada como principal ferramenta de implementação nos próximos 12 meses. “Num momento em que mudança cultural e de comportamento vieram e continuam vindo à tona com a crise do Covid-19, as empresas estão precisando ser muito ágeis, trabalhar em squads, times horizontais, atuar remotamente e usar tecnologia para vencer os desafios e continuar operando.”, afirma Eduardo Terra, presidente da SBVC.

Para a avaliação, as empresas ouvidas foram divididas por faturamento: 33% delas tinham faturamento até 500 milhões; 19% com faturamento entre 500 milhões e 1 bilhão de reais e 48% com faturamento acima de 1 bilhão de reais. E representam os maiores players do mercado, de 10 diferentes segmentos do varejo, como moda, calçados e artigos esportivos, super, hiper, atacarejo e conveniência, lojas de departamento, artigos do lar e mercadorias em geral, drogarias e perfumarias, foodservice, livrarias e papelarias, eletromóveis, material de construção, óticas, jóias, bolsas e acessórios e outros segmentos.

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.