Totvs – 728 x 90

Gamification: Como funciona e onde se aplica nas empresas

0 1.285

Com a constante mudança no mercado, as empresas buscam novas estratégias para engajar o público. Um desses conceitos, pouco aplicado atualmente, é o gamification, que utiliza padrões de jogos para atrair e fidelizar clientes e consumidores.

O conceito de gamification consiste na utilização de estratégias e o design de games em contextos que não sejam necessariamente associadas aos jogos em si, por exemplo em “competições” corporativas como acontece hoje com os selos de supermercados que, ao completar a tabela, o consumidor ganha algum tipo de presente ou benefício do local. A ideia é trazer o jogo para a realidade e com isso impactar pontos como engajamento com o seu público alvo.

A Descola, escola de cursos online em inovação e empreendedorismo, traz um estudo sobre essa área e explica como pode ser utilizada para criação de uma empresa, um produto, um serviço ou qualquer coisa que interaja com pessoas.

Qual o conceito da estratégia?

O conceito do Gamification é usar todos os aprendizados com os jogos e aplicar nas diversas atividades de uma empresa. Se engana quem acha que colocar barras de progresso ou badges em um site é “Gamificar” a plataforma. Toda a forma de se relacionar com seu consumidor pode usar a lógica dos jogos para que sua relação seja muito mais próximo e engajador. Use o gamification para mudar a relação com seu usuário. Crie desafios, promova conquistas, permita que ele acesse áreas exclusivas, premie seu sucesso. É necessário entender o perfil de cada usuário para criar a mecânica que vai atendê-lo da melhor forma possível.

Como a ferramenta tem se disseminado pelo território brasileiro?

Preferimos chamar o Gamification de uma metodologia. Uma ferramenta dá a entender que há um manual claro para criar a gamificação, mas seu processo de implementação depende da empresa, das necessidades que se quer promover e principalmente do público.
Mas sim já podemos ver diversas empresas com iniciativas de tornar seus produtos ou experiências mais gamificadas. Um exemplo muito claro atual é o do aplicativo Cliente Mais do Pão de Açúcar. O app direciona promoções exclusivas para cada usuário, além de permitir que você agende um horário de forma exclusiva no caixa (um sentimento de personalização, típico do gamification), ele também te incentiva a aumentar o seu gasto oferecendo prêmios e barras de progresso (sentido de conquista). Oferece promoções que você pode gostar (sentimento de exploração do novo). É um belo case de uso do Gamification com todo seu potencial.

Qual a importância de tomar conhecimento da estratégia?

Jogos são a mídia mais engajadora que existe. Um jogador fica “preso” no jogo justamente por causa de seu profundo entendimento de motivações humanas, evidenciados pelas funcionalidades que ele possui. Então se você quer que a sua empresa crie conexão com os seus consumidores, você precisa olhar para o que o Gamification tem a nos ensinar.

Quais cursos disponíveis aplicam métodos do gamification?

O curso da Descola de Gamification foi o primeiro curso online no Brasil sobre o tema. Trazemos de forma prática e com muitos cases todas essas aplicações dos jogos para o mundo dos negócios. Nele abordamos os pontos dessa metodologia como: Sentido de conquista; storytelling; socialização; construção e propriedade; escassez; evitação e perda; criatividade e surpresa. Você pode conferir o curso aqui.

Quais são os principais pontos positivos do formato?

O gamification aplicado ao e-commerce vem para melhorar a experiência de compra. Acaba se tornando um fator importante na hora de criar mecanismos de concorrência que vão além de preço, produtos, etc.

Existe algum ponto negativo nesse formato?

É um conceito inovador, e é necessário unir alguns formatos de comunicação diferenciados para que a estrutura funcione, o que pode dificultar a implementação de campanhas de gamification.

Em sua opinião, porque o Brasil lesa o uso de tal estratégia?

No Brasil, ainda estamos um pouco atrasados quando falamos de e-commerce. Apesar de várias inovações e do mercado estar crescendo a cada ano, ainda focamos em estratégias baseadas em menor preço, quando na verdade, existe uma corrente muito forte (os famosos millennials) que levam a experiência como um dos fatores principais na hora de tomar uma decisão. O mercado brasileiro precisa se adaptar às novas tendências, e estar aberto a novas experiências, como o Gamification.

Sobre a fidelização do cliente: Qual o ponto principal entre o consumidor e o fornecedor? (tratando-se da estratégia)

A experiência de compra se torna mais divertida, e acaba engajando mais o consumidor. Se for uma ação pontual, como a do Extra, podemos aumentar as taxas de conversão e engajamento. Se for uma estratégia a longo prazo, como um programa de fidelização, ou um jogo para quem é cliente, isso pode melhorar a percepção que o cliente tem da marca, e o engajamento a longo prazo.

Poderia nos informar sobre o “antes” e “depois” do uso dessa ferramenta?

No case que comentamos na pergunta anterior, temos resultados bem relevantes ocasionados pelo uso da ferramenta da Social Miner somada a estratégia de Gamification. Foram registradas taxas de conversão de até 6,3% ( a média do mercado é 1,5%) e quando falamos em engajamento não foi diferente, registramos taxas de 24,1%.

Fonte Adnews
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.