Cresce cada vez mais o número dos usuários do Instagram

0 1.102

No começo de 2017, as 100 maiores marcas das redes sociais brasileiras tinham, em média, cerca de 800 mil seguidores em seus perfis no Instagram. No terceiro trimestre do ano, esse número cresceu para pouco mais de 980 mil. Os números constam no último relatório #MS360FAAP, produzido pelos professores do Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) em parceria com a Socialbakers – líder global em soluções para otimização de performance em redes sociais.

O estudo é composto por diferentes gráficos nos quais é possível enxergar o comportamento das marcas – dos setores de Mídias e Notícias, Bens de Consumo, Entretenimento, E-Commerce e Marcas / Institucional – e de seus seguidores. O

Os números indicados nesse último relatório – referentes a julho, agosto e setembro – mostram que a ferramenta Stories – utilizada pelos usuários para a criação de vídeos curtos, que desaparecem depois de 24 horas da publicação – é, possivelmente, uma das explicações para o crescimento no número de seguidores das marcas no Instagram, conforme explica o professor Thiago Costa, um dos pesquisadores do NiMD.

“Praticamente um ano depois do recurso começar a funcionar, percebemos que houve uma apropriação desse modelo de conteúdo pelas marcas”, diz o professor, que também é coordenador da pós-graduação em Comunicação e Marketing Digital da FAAP.
O professor Eric Messa, coordenador geral do NiMD, acrescenta que outra possível causa é a tendência – já vista há algum tempo – dos conteúdos em imagem e vídeo estarem ganhando a preferência dos usuários brasileiros. “E esse é o foco do Instagram”, conta.

Queda no Facebook

O Facebook – outra plataforma analisada pelo #MS360FAAP – teve uma ligeira queda entre o primeiro e o terceiro trimestre de 2017, relativa à interação dos usuários nas fanpages das marcas do segmento de “Mídia e Notícias”, que historicamente possui o maior nível de interação.

Entre janeiro, fevereiro e março deste ano, as páginas acumularam uma média de 10.311.273 interações (comentários, reações e compartilhamentos). Esse número desceu para 9.274.236 no trimestre de julho, agosto e setembro, representando a maior queda entre todos os segmentos analisados, porém todos tiveram decréscimo no item interação.

Apesar da queda na interação dos usuários nas fanpages das marcas no Facebook, o número de fãs cresceu no período. Porém, houve um recuo na tendência de crescimento. O segmento de “Entretenimento”, por exemplo, no primeiro trimestre de 2017, a média de crescimento de fãs foi de 140.082. No segundo trimestre foi de 114.659 e no terceiro de 108.167.

A professora Karina Bousso, também pesquisadora do NiMD, destaca que as marcas precisam ficar atentas para as mudanças no perfil do consumidor. “Está claro que há uma tendência de migração para conteúdos no Instagram e também no YouTube”, comenta.
No YouTube, a média de assinantes dos canais das marcas subiu de quase 85 mil no início do ano para mais de 110 mil assinantes no trimestre mais recente. “Se compararmos com o ano passado, quando no terceiro trimestre eram somente 57 mil inscritos em média, é possível confirmar o quanto os vídeos estão ganhando espaço. Trata-se, realmente, de uma mudança na forma do consumidor receber conteúdo de marca”, concorda o Prof. Adriano Cerullo, da FAAP.

Outros números
– Os vídeos das marcas no YouTube tiveram, em média, 231 segundos de duração.
– As 100 marcas brasileiras com mais interações no Twitter têm, em média, 301.740 perfis seguidores.
– As empresas do segmento “Bens de Consumo” foram as que responderam mais rápido aos seus seguidores no Facebook no terceiro trimestre do ano. Demoraram, em média, 2 horas e meia.
– 35% das postagens das TOP 100 marcas brasileiras no Instagram usam entre duas e três hashtags.

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.