As 20 marcas de tecnologia mais valiosas do mundo

0 411

O estudo atribui a liderança da marca da maçã, criada por Steve Jobs, às novas estratégias da empresa para ampliar seu portfólio de produtos e serviços, e mostrar que é mais do que uma fabricante de dispositivos inteligentes. A Apple anunciou nos últimos meses a criação de serviços de transmissão de TV, assinatura de notícias, séries e filmes e serviços de jogos, além de introduzir um cartão de crédito próprio em parceria com o banco de investimentos Goldman Sachs.

“A Apple está expandindo seu crescente ecossistema de tecnologia para um modelo de serviço que pode ser altamente disruptivo e que todas as marcas precisam entender para ter sucesso nesta nova era”, diz a pesquisa. Nesta semana, a empresa anunciou a saída de Jony Ive, lendário designer responsável por diversos aparelhos da marca, que deixou a Apple para formar seu próprio estúdio de design. Os efeitos da saída do designer, que estava na empresa há mais de 20 anos, são incertos, embora Ive afirme que seguirá colaborando com a Apple por meio de seu estúdio, o LoveFrom. 

Terceira colocada no ranking, a Microsoft soma US$ 251,2 bilhões em valor de marca, uma alta 25%,  graças à estratégia de Satya Nadella de estimular mudanças de cultura e estratégia para reposicionar a empresa no mercado. Nos últimos cinco anos, a marca tem se envolvido fortemente com serviços corporativos, que visam oferecer maiores benefícios de economia de tempo, e são menos suscetíveis de serem afetados por crises econômicas.

Embora as marcas chinesas não tenham sido afetadas pelas preocupações com a privacidade do consumidor, algumas sofreram com restrições regulatórias de Pequim. Maior empresa de jogos e redes sociais da China, a Tencent caiu um lugar no ranking, para a quinta posição, com US$ 130,9 bilhões em valor de marca.

A queda de 27% em valor de marca em relação ao ranking anterior, foi puxada pela intensificação da repressão governamental a jogos online. No entanto, a receita de publicidade e computação em nuvem compensou esse déficit, juntamente com a listagem de seus negócios de música na Bolsa de Nova York no final de 2018.

Na contramão das plataformas de mídia social que enfrentam desafios em termos de confiança dos usuários, o Instagram sobe oito posições no ranking de tecnologia, aumentando em 95% o valor da marca, com US$ 28,2 bilhões, na décima segunda colocação. “Com mais de 1 bilhão de usuários em todo o mundo, a marca evoluiu rapidamente de um aplicativo de compartilhamento de imagens para uma plataforma digital desejada para profissionais de marketing e criadores de marcas”, destaca o estudo.

Segundo Martin Guerrieria, Diretor Global de Pesquisas da BrandZ na Kantar, a tecnologia está impulsionando o crescimento em várias categorias diferentes, como varejo, luxo, cuidados pessoais, fast food e entretenimento.

“A tecnologia permite que os consumidores estejam mais conectados do que nunca a marcas individuais, dando a eles uma voz mais forte e a capacidade de aplicar pressão quando as expectativas não são atendidas. E a transparência leva à confiança, e as empresas de tecnologia estão percebendo a verdadeira extensão de seu poder para influenciar o comportamento do consumidor”, avalia o executivo em nota.

Veja o ranking das 20 marcas de tecnologia mais valiosas do mundo:

Ranking 2019 Marca País de Origem Valor da Marca 2019 (em US$ Milhões) Variação no valor
1 Apple EUA 309,527 3%
2 Google EUA 309 2%
3 Microsoft EUA 251,244 25%
4 Facebook EUA 158,968 -2%
5 Tencent China 130,862 -27%
6 IBM EUA 86,005 -11%
7 SAP Alemanha 57,528 4%
8 Accenture EUA 39,184 16%
9 Intel EUA 31,88 13%
10 Samsung Coreia do Sul 30,369 -6%
11 Cisco EUA 28,861 35%
12 Instagram EUA 28,205 95%
13 Adobe EUA 27,93 57%
14 Salesforce EUA 26,917 58%
15 Huawei China 26,908 8%
16 Oracle EUA 26,488 3%
17 LinkedIn EUA 22,816 46%
18 Baidu China 20,879 -22%
19 Xiaomi China 19,805 N/A
20 Dell Technologies EUA 18,486 N/A

 

Fonte Exame.com
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.