Aplicativo denuncia preços abusivos do Brasil

0 56

Descontentes com os altos preços pagos por um chope ou por uma porção de batatas fritas, desenvolvedores cariocas criaram um aplicativo para registrar Brasil afora os valores que, de tão altos, parecem surreais.

Disponível por enquanto apenas para iPhones, o aplicativo Ju$to é colaborativo e funciona como um Waze para bares e restaurantes.

“A ideia é que as pessoas tenham noção de que não é todo lugar que tem esses preços loucos”, explica o designer Pedro Almeira que, ao lado do desenvolver Ubiratan Braga, criou o app.

São os próprios consumidores que abastecem o sistema. Vale incluir não só aqueles produtos e serviços caros, mas os também tidos como em conta também. “O ‘surreal’ é só uma parte da história, né”.

O aplicativo surge na esteira de um movimento nascido no Rio de Janeiro para que clientes apontassem abusos nos preços e boicotassem os estabelecimentos que cobrassem valores estratosféricos. 

Até uma moeda foi criada para parodiar a situação. Chamada de “Surreal”, tinha as notas estampadas pela imagem do pintor surrealista espanhol Salvador Dalí.

Apesar de ter nascido nesse contexto, o aplicativo foi criado para acolher os preços de estabelecimentos comerciais de outros lugares. Utilizando o sistema de geolocalização do Foursquare, o Ju$to exibe bares e restaurantes que estão mais próximos do usuário. O login é feito com a conta do Facebook.

“É uma tentativa de democratizar os lugares que tenham o preços mais justos, na tentaiva até de boicotar mesmo [os que cobram altos valores]. Se os consumidores deixarem de ir, os caras vão ter que abaixar [os preços]”, diz Almeida. Os consumidores podem também corrigir os valores presentes no aplicativo. Essa é a primeira versão do Ju$to. 

Segundo Almeira, as próximas devem ser incrementadas para ganhar funções como a de ranqueamento ou de indicação de estabelecimentos que ofereçam os preços mais justos.

Também deve ser criada uma busca por itens e por produtos de uma determinada marca vendidos pelo preço mais barato em um local mais próximo do usuário. Se houver demanda, um aplicativo para Android também deve ser lançado.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.