7 maneiras de como a indústria pode melhorar o relacionamento com seu varejista

0 1.530

Para indústrias que atuam diretamente com o varejo manter um bom relacionamento é um ponto primordial para o êxito do negócio. Por isso, em tempos de pandemia, muitas empresas perceberam a necessidade de ir além das relações comerciais básicas, estreitando a relação com seus clientes.

Mais do que fornecer um produto, tornou-se primordial o contato com o varejista. Isto com o intuito simples de ouvir quais são as suas necessidades, preocupações e percepções nesta nova realidade trazida pelos impactos da chegada do Covid 19, que não se sabe quanto tempo durará. Nem sequer é possível mensurar com a mínima garantia de precisão o impacto que a pandemia deixará mesmo após a chegada de uma vacina.

Com isso, questões sobre como trabalhar a relação com as empresas varejistas se tornou um dos principais dilemas enfrentados pela indústria nos últimos meses.

Como melhorar o relacionamento com o varejista?

Um relacionamento só dá certo quando existe um desejo de fazer o outro feliz. Isso tanto nas relações amorosas quanto nas comerciais. Afinal, um cliente infeliz com seu fornecedor tende a procurar uma outra opção mais satisfatória dentro das suas expectativas. 

Precisamos ter em mente que, ainda que o cliente nem sempre tenha razão, é sempre bom trabalhar para deixá-lo satisfeito com o seu produto e/ou serviço não é apenas o consumidor que busca um bom atendimento. Esta prática deve ser mantida no B2B também. Confira abaixo 7 dicas essenciais para aprimorar o seu relacionamento com o seu varejista.

1 – Entenda as dificuldades do varejista

Na nossa vida pessoal, costumamos dizer que o diálogo é o melhor caminho para resolver e entender problemas, bem como para evitá-los. Mas este princípio também pode ser aplicado na relação da indústria com o varejista.

Um desafio recorrente na indústria em sua relação com o varejo, por exemplo, é saber o que acontece definitivamente com seus produtos em campo, algo que se tornou um tópico ainda mais sensível durante a pandemia, tanto para o lado do varejista quanto da indústria.

Mas esta não é a única opção de problema enfrentado nesta relação. Pode haver entraves sobre métodos ou datas de pagamentos, questões logísticas ou mesmo a necessidade de entender os novos desejos do consumidor final.

Para isso, é necessário investir tanto em ferramentas tecnológicas que facilitam esse processo quanto em profissionais qualificados para trabalhar com inteligência dos dados capturado em campo. Afinal, se ele não compra do varejista, este por sua vez não faz novos pedidos para a indústria.

2 – Se mostre disposto a ajudar na solução

Uma vez que o problema foi identificado, o responsável da indústria deve mostrar seu interesse em ajudar, dentro do possível, seu cliente. Ainda que nem sempre ele tenha responsabilidade sobre a questão.

Uma simples indicação ou ideia de solução já podem fazer a diferença nesta relação.

Podemos usar como exemplo a dificuldade com o cálculo de demanda. Em uma conversa franca entre o fornecedor e o varejista é possível chegar a um cálculo médio coerente com a realidade enfrentada no mercado. 

Vale, inclusive, conversar com os compradores para identificar problemas neste fornecimento de produtos e chegar a soluções boas e possíveis para ambos os lados. Este tipo de atitude tende a fazer com que o varejista pense duas vezes antes de mudar para outro fornecedor.

3 – Busque saber o que seu cliente acha do seu trabalho

O mercado de varejo e serviços costuma trabalhar com uma ferramenta bastante eficaz: a pesquisa de satisfação com os clientes. Por meio dela, é possível identificar problemas, pontos a serem melhorados e ver o que já está dando certo.

Esta prática pode ser trazida também para a realidade da indústria. Vale a pena fazer um questionário (inclusive digital) para entender melhor o que os clientes acham do seu produto ou serviço.

E não é difícil estruturar algo assim, especialmente considerando o retorno que pode ser obtido a partir disso.

Mas não adianta ver as respostas e não aplicar as mudanças necessárias e pertinentes. O processo de pesquisa deve se tornar um processo de negócio, constantemente monitorado e implementado para que seja uma real melhoria. 

4 – Ofereça múltiplos canais de venda

Em tempos de pandemia, uma opção que tem sido bem vista, testada e aprovada por diversas empresas é a oferta de serviços à distância. 

Muitos optaram por oferecer outros canais de força de vendas para o varejista, que antes estava acostumado com a visita presencial do representante. Além da vantagem da redução de contato presencial, especificamente para evitar a transmissão e contaminação com o novo coronavírus, a automação de processos faz com que as empresas ganhem tempo e consigam organizar melhor suas demandas.

Isto pode ser feito por serviços de televendas, WhatsApp com chatbot ou mesmo em portais B2B. Todos essas opções de otimização são oferecidas pela REsight – empresa brasileira e especialista em soluções de monitoramento e execução de varejo. Com essas soluções, os pedidos são realizados e em tempo real sincronizados automaticamente em um dashboard. Unificando os pedidos de compra em uma única plataforma, tornando o contato com o cliente mais fácil, e sem abrir mão de certa pessoalidade, algo essencial mesmo em uma relação comercial.

5 – Dê respostas rápidas

Com estas ferramentas, todos os seus canais de vendas, estarão aptos a atender de forma mais rápida os clientes e seus pedidos. Especialmente porque conseguem acompanhar a movimentação de estoque pedido a pedido para saber o que é possível ou não oferecer e o que não

Tal otimização ainda ajuda na análise e no acompanhamento por parte do gestor. Desta forma, ele consegue visualizar o movimento da empresa de forma mais clara, o que auxilia no processo de tomada de decisão ou de visualização de ajustes necessários dentro do negócio.

Com este tipo de solução, os gestores conseguem ganhar tempo, atender aos clientes rapidamente e diminuir distâncias, além otimizar processos antes confusos ou demasiadamente trabalhosos.

A REsight inclusive oferecerá gratuitamente para indústrias, até o final da crise gerada pela pandemia de coronavírus, um e-Commerce B2B. O objetivo é ajudar as indústrias a manterem o abastecimento de PDVs com menos dificuldades e maior segurança.

6 – Seja organizado

Uma boa organização também reflete positivamente na relação com o cliente. Isso porque os dados serão achados mais facilmente, bem como pedidos anteriores e informações importantes.

É bom manter um dossiê digital de cada cliente salvo de forma prática e organizada em um CRM. E mesmo se este cliente sair da sua carteira, mantenha o histórico sempre ativo, caso a relação seja retomada em algum momento.

7 – Auxilie os representantes de vendas e promotores de trade

Outra opção bastante válida é dispor de um aplicativo para o vendedor de campo. Por meio dessa solução é possível oferecer ao vendedor a visibilidade completa da sua carteira de clientes em seu dispositivo móvel. O vendedor poderá ter acesso remoto ao histórico de pedidos, títulos, entregas e pendências, permitindo um atendimento qualificado e individualizado, com ou sem acesso à internet. Além disso ao integrá-lo com a tecnologia de machine learning, é possível oferecer um mix de produtos baseado no perfil do cliente, histórico de compra ou potencial geográfico, dispondo sempre dos produtos ideias e com melhores chances de aumentar margens e resultados

E esses benefícios também se estendem aos promotores, por meio do aplicativo de trade marketing, podendo realizar as auditorias nos pontos de vendas de forma muito mais rápida, utilizando a inteligência artificial. Com apenas uma foto, é possível fazer uma leitura automática de uma gondola em até 10 segundos, demonstrando resultados sobre presença, ruptura, participação, aplicação do planograma e performance da concorrência

Ao permanecer menos tempo no local, o risco de contágio dos representes de vendas e promotores por coronavírus é reduzido, e o trabalho é finalizado de forma eficiente e prática. Outro benefício é a possibilidade de o gestor acompanhar essas medições e análises de forma remota, sem precisar se deslocar. 

São tempos difíceis, mas existem soluções pensadas e preparadas para tornar o trabalho da indústria mais eficaz, reduzindo os impactos no fluxo de caixa das empresas. Este tipo de iniciativa também demonstra interesse em fazer com que o PDV do seu cliente continue promissor, tornando qualquer relação comercial melhor e mais próxima.

 

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.