6 produtos que fracassaram por ‘excesso de inovação’ e falta de utilidade

1 1.296

A inovação de produtos é uma das formas pelas quais as grandes empresas mantêm a competitividade em um mercado que muda rapidamente. No entanto, isso nem sempre ocorre quando as grandes marcas tentam se modernizar.

Quando o excesso de inovação atrapalha a usabilidade do produto ou simplesmente não agrega valor ao artigo, o resultado é um verdadeiro fracasso.

Confira abaixo seis exemplos de investimentos que deram errado:
1 – Google+

O Google+ é uma das maiores decepções da gigante de tecnologia. A rede social inicialmente era restrita a convidados e uma semana depois passou a ser aberta para concorrer diretamente com o Facebook. Com desempenho insatisfatório, a plataforma vai deixar de funcionar em agosto de 2019.

2 – Crystal Pepsi

A bebida foi criada para reforçar o interesse do consumidor pela pureza e pela saúde. A tentativa da Pepsi de lucrar com essa moda dos anos 90, contudo, não pegou, segundo a CBInsights. Os consumidores ficaram em dúvida se o refrigerante tinha sobor cítrico (como de limão) ou de cola, como é característica da marca.

3 – Google Glass

O gadget pode ter sido lançado cedo demais. Entre um preço alto, problemas de privacidade e repercussão cultural, o produto simplesmente não decolou.

4 – Allo (Google)

O Google tentou diversas vezes apresentar uma alternativa viável de mensagens ao Facebook Messenger, ao WhatsApp ou ao iMessage da Apple e falhou em todas. Depois de menos de dois anos empurrando o Allo, o Google anunciou em abril de 2018 que estava pausando o desenvolvimento do aplicativo em favor de um novo app chamado “Chat”. O fracasso do Allo pode ser visto como outra derrota do Google no campo de aplicativos sociais. Anil Sabharwal, chefe de mensagens da empresa, admitiu que o Allo nem sequer chegou perto de atender às esperanças do Google.

5 – PS Vita

O PS Vita fracassou, de acordo com a CBInsights, porque os melhores jogos não foram vendidos em versões compatíveis e o portátil não ofereceu integração suficiente com outras plataformas da Sony para justificar seu valor na época, por volta de US$ 299 (R$ 1.148).

6 – Windows Vista

O XP era a versão mais atualizada do Windows por cinco anos quando o Vista foi lançado em 2007. Muitos clientes não gostaram da mudança. Comentários de que a nova tecnologia era menos amigável que o favorito XP levaram usuários a trocar o sistema operacional pelo anterior. A Microsoft admitiu o erro e apressou o lançamento da versão em 7, em 2009.

Fonte Época Negócios
Notícias Relacionadas
1 comentário
  1. Ubirajara Araujo diz

    Qual o sétimo produto a fracassar ?

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.