5 ferramentas simples de gestão que os funcionários do Google utilizam

Em um discurso no início do ano, o discreto CEO do Google, Sundar Pichai, compartilhou o que acredita ser a principal característica de uma boa gestão e liderança: “Deixe os outros atingirem o sucesso”. O conselho de Pichai é muito mais fácil de falar do que fazer. Depende de uma série de critérios subjetivos, das empresas e de pessoas. Sua empresa, porém, compartilha várias dicas objetivas para facilitar a implementação de uma boa gestão. No blog “Re: Work”, o Google oferece uma série de práticas que seus gestores usam no dia a dia, seja para dar feedback, para acompanhar o desenvolvimento profissional, para marcar compromissos até resultados de pesquisas que a empresa fez a partir da análise de documentos gerados nos últimos anos – e dão insights para seus líderes. O Quartz separou cinco indicações. Confira abaixo quais são:

Feedback
No Google, os funcionários podem avaliar seus gestores em uma pesquisa semestral baseada em um questionário de 13 perguntas. As 11 primeiras questões perguntam se os funcionários concordam ou discordam de fundamentos como: “Meu gestor mostrou consideração comigo como pessoa”, “Meu gestor mantém o foco do time para atingir os resultados de nossa área”, “Meu chefe tem experiência técnica para conseguir ser o gestor do trabalho que realizo”, “Meu gestor compartilha informações de seus superiores comigo e com a equipe frequentemente”. As perguntas finais são abertas, para respostas livres e questionam: “O que você recomendaria que seu gestor continuasse fazendo?” e “O que você gostaria que seu gestor fizesse diferente?”.

As respostas são confidenciais e os gestores recebem um relatório anônimo com os comentários dos funcionários. “Essas avaliações são puramente para o desenvolvimento profissional. Não estão diretamente ligadas à questões de performance e desempenho. Desta forma, acreditamos que incentivamos os funcionários a serem honestos e a darem um feedback construtivo”, diz o Google no blog.

Conversas sobre carreira
Pesquisas sobre as avaliações e práticas realizadas nos últimos anos, mostram que os funcionários do Google valorizam o fato de a maioria de seus gestores terem sido comprometidos com o sucesso pessoal e desenvolvimento de carreira do time deles. Para ajudar os gestores a fazer isso na prática, o Google usa o modelo de coach chamado de “Grow”, que visa delinear – através da conversa entre gestor e funcionário – como as pessoas imaginam e planejam suas trajetórias. A conversa é pautada por quatro preceitos:

Objetivo: “O que você deseja ser?” Estabeleça o que o funcionário deseja atingir em sua carreira
Realidade: “Em que estágio você se encontra agora?” Ajude o funcionário a entender qual é seu papel atual e suas habilidades neste momento
Opções: “O que você poderia fazer a partir de agora?” Ajude-o a criar múltiplas opções que poderiam ajudar a preencher a distância que há ainda entre o objetivo que ele estabeleceu e a realidade em que se encontra.
Futuro: “O que você fará?” Ajude-o a identificar quais passos ele poderia tomar para caminhar no sentido de atingir seu objetivo profissional

Um simples objetivo 
Para estimular as pessoas a buscarem o bem-estar e uma vida equilibrada entre trabalho e carreira, o Google usa uma prática chamada de “One Simple Thing”. Trata-se de estabelecer um objetivo simples, mas que seja possa ser medido o impacto que ele trará no bem-estar pessoal do funcionário. Algo como: “eu não vou ler emails aos finais de semana”, ou “eu vou sair do trabalho às 18h no mínimo duas vezes por semana para conseguir brincar com minha filha antes dela dormir”. “Esse objetivo simples torna-se, depois, parte do conjunto de metas que um membro da equipe precisa realizar e pelo qual será cobrado tanto quanto pelos outros trabalhos da empresa”, diz o Google.

Defina, em parceria, o motivo da reunião 
No Google, os gestores mais bem avaliados são aqueles que fazem reuniões individuais frequentes com seus funcionários, dando feedbacks claros. Arranjar tempo para realizar isso na prática é bem difícil, porém. Para conseguir isso, os funcionários do Google montam suas reuniões a partir das demandas ou problemas que têm para resolver. Ou seja: a agenda é algo construído tanto pelo funcionário quanto pelo gestor. É organizada com alguns temas, que podem ser simples questões como: “Posso ajudar você em algo?” até discussão sobre desafios enfrentados, questões burocráticas a serem resolvidas (férias, gastos), desenvolvimento de carreira até feedback.

Material do gestor
Os gestores recebem um material que o ajudam a gerenciar suas equipes de forma mais eficaz no dia a dia. Ele inclui uma “guia facilitador” (que treina principalmente novos gestores”), um livro de estudos (com exercícios interativos) e uma apresentação que o Google mostra internamente. “Esse material foi desenvolvido para que os gestores do Google possam conseguir realizar a transição da função de um funcionário colaborador individual para a função de um funcionário gestor”, diz a empresa.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.