Páscoa 2021: e-commerce e diversidade de produtos serão peças-chave para o sucesso nas vendas

0 963

*Por Amilcar Pavan

Já é de senso comum dizer que a pandemia modificou completamente o varejo e é principalmente durante as datas comemorativas que mais sentimos isso. Em 2021, continuamos nossa batalha árdua contra o coronavírus, e o Carnaval, um dos principais feriados de nosso calendário, foi cancelado para evitar aglomerações e diminuir as chances de contágio da doença. Para quem trabalha com o varejo sabe que este feriado é um dos principais momentos de crescimento nas vendas, principalmente de bebidas alcoólicas. Com este decreto, podemos perceber uma adaptação do mercado em geral, que encontrou como alternativa a antecipação das vendas da Páscoa para o início de fevereiro.

As esperanças para as vendas na Páscoa deste ano são positivas e o levantamento realizado pela ACIC, Associação Comercial e Industrial de Campinas, colabora com este sentimento. Segundo ela, as perspectivas para este feriado são de um crescimento de 32,5% no faturamento em relação ao ano anterior na RMC (Região Metropolitana de Campinas). Ainda com dados desta pesquisa, o ticket médio dos consumidores deverá ser de R$110, cerca de 10% acima do valor em 2020.

Amilcar Pavan, sócio-proprietário dos Supermercados Flex Atacarejo e ASP

Com um cenário positivo em relação ao ano anterior, é função dos varejistas oferecer todos os meios possíveis para que os consumidores possam fazer suas compras com segurança e comodidade. Portanto, a tecnologia nos processos se torna fundamental para o crescimento do negócio, seja em grandes marcas, como a Nestlé, até empresas de bairros, que utilizam as redes sociais para fazer o contato com seus clientes.

As diferenças da Páscoa em 2021 também são perceptíveis nos grandes fornecedores. A indústria está apresentando um alto índice de ruptura, devido a falta de embalagens e insumos, o que afeta diretamente no repasse dos produtos. Acreditamos muito que as vendas incrementais junto a pequenos empreendedores, como doceiros e doceiras, que fazem ovos caseiros, serão fundamentais no faturamento. Portanto é necessário que os varejistas estejam aptos a atender esta demanda, oferecendo produtos que vão desde barras de chocolates até outros tipos de insumos, como manteiga, leite e açúcar.

Além de suprir a procura dos pequenos empreendimentos, firmar parcerias com produtos regionais também é fundamental para a garantia do sucesso nas vendas. Apesar do crescimento no ticket médio, todos nós sabemos do momento de instabilidade econômica em que vivemos, impactando negativamente no bolso do consumidor, assim, mais do que nunca, é necessário expandir o leque de preços e fornecedores, a fim de trazer mais opções de qualidade e diversidade nos preços.

Dado todo este panorama, é possível concluir que os lojistas necessitam investir em segurança, tecnologia e diversidade de produtos para prosperar nesta Páscoa. A expectativa é positiva e nós estamos esperançosos e preparados para suprir as demandas de todos os tipos de consumidores.

Venda de Pescados

Vale ressaltar que juntamente da Páscoa também acontece a Sexta-feira Santa, onde as famílias católicas evitam comer carne durante o dia, impactando positivamente nas vendas de pescados, segmento que segue expandindo desde o ano passado, com um crescimento de 35% durante os últimos 12 meses. Portanto, seja por meio de peixes ou ovos, a esperança é que a Páscoa seja um momento de respiro para o varejo nacional.

*Amilcar Pavan é sócio-proprietário dos Supermercados Flex Atacarejo e ASP e colunista do Portal Newtrade
Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.