Os bancos com os maiores e menores juros no cheque especial

0 26

O cheque especial é um empréstimo automático que o banco faz a quem fica com a conta corrente negativa. Com limite pré-aprovado e sem garantias, é a segunda linha de crédito mais cara concedida pelos bancos, segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Em agosto, a taxa de juro média para o cheque especial foi de 7,77% ao mês (145,46% ao ano), perdendo apenas para o cartão de crédito. Em função do alto custo, o cheque especial só deve ser usado em emergências e por pouquíssimos dias.

E ainda é preciso tomar alguns cuidados com certas “pegadinhas” dessa linha de crédito tão rentável para os bancos. Se a situação financeira do devedor for mais complicada, e ele precisar de mais prazo, o melhor é pedir um empréstimo pessoal ou consignado, que têm taxas mais atrativas.

Contudo, as taxas de juros do cheque especial podem variar bastante entre os bancos. Segundo dados do Banco Central, a taxa de juro média efetivamente praticada na Caixa no período de 19 a 25 de setembro foi quase a metade da média do mercado, de 4,17% ao mês. Isto é, alguém que deveu 1.000 reais ao banco por um mês teve que pagar 1.041,70 reais de volta à instituição. Apesar de alto, é o juro de cheque especial da Caixa é o mais em conta entre os maiores bancos de varejo.

Já o Santander cobrou uma taxa média de 10,36% ao mês de seus clientes no mesmo período, a mais cara entre os grandes bancos. Ou seja, um cliente que deveu 1.000 ao banco teve que pagar-lhe de volta 1.103,60 reais, ou 61,90 reais a mais que o cliente da Caixa.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.