Clique Retire quer multiplicar presença no mercado

0 775

A São Carlos Empreendimentos e Participações – por meio da subsidiária de centros de conveniência Best Center – liderou uma rodada de aportes na Clique Retire, empresa de “lockers” (armários) para a chamada última milha do processo de entrega de produtos a clientes. Controlada pela família fundadora da Direcional Engenharia, a Clique Retire recebeu de R$ 32 milhões na capitalização. A família Valadares Gontijo, que controla a Direcional, também participou da rodada e teve sua fatia na startup elevada de 57,8% para 63%.

Os recursos captados possibilitarão triplicar a capacidade produtiva da fábrica e elevar o número de cidades de 38 para 60 neste ano. “Vamos aumentar a quantidade de ‘lockers’, dos atuais 250 para 1.200 até meados de 2021”, diz o presidente da Clique Retire, Gustavo Artuzo. Há intenção de multiplicar por dez a produção em cinco anos.

Os equipamentos, chamados de “e-boxes”, estão instalados em locais com grande fluxo de pessoas, como estações de metrô e trens, shopping centers e postos de combustível. Os principais mercados de atuação são o Rio de Janeiro, com 120 armários, e São Paulo, com pouco menos de 100.

A expansão do comércio eletrônico durante a pandemia aumentou em cinco vezes a demanda pelos equipamentos. A startup atende a varejistas, empresas de shopping e de logística. Entre os principais clientes, estão B2W, Dafiti, PagueMenos, Decathlon, Aliansce Sonae, BR Malls e DHL.

A Clique Retire faz a coleta dos produtos nos centros de distribuição das empresas. No Rio, a triagem é feita em central localizada na estação de metrô Estácio e, em São Paulo, na estação Alto da Boa Vista. Em seguida, os armários são abastecidos. Quando a encomenda chega ao local selecionado para recebimento, o comprador é informado por mensagem e pode destravar o “locker” por “QR code” no celular para ter acesso ao produto.

Os equipamentos têm sido usados também na logística reversa, por exemplo, para devolução de mercadorias.

Além disso, a Clique Retire está começando a instalar equipamentos em condomínios residenciais. Uma das clientes é a Luggo, empresa de locação residencial da MRV&Co, concorrente da Direcional na área de incorporação. Em breve, empreendimentos da Riva, marca da Direcional para a média renda, também terão “lockers”.

Outro perfil de quem contrata a locação dos armários são pessoas que moram em locais de difícil acesso e precisam receber produtos e até mesmo cartões bancários. “Cerca de 44% dos CEPs do Rio e 29% dos de São Paulo têm restrições e não são atendidos pelos Correios ou recebem atendimento com pouca frequência”, conta Artuzo.

A startup está em operação desde novembro de 2020.

Fonte Valor Econômico
Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.