Brasileira troca geladeira por maquiagem

0 25

Você sabia que em tempos de crise as vendas de batons e cosméticos tendem a crescer mais do que outros setores? Isso é o que explica o Índice Batom – conceito criado em 2001 pelo presidente da Estée Lauder, Leonard Lauder, que buscava entender porque as vendas de sua indústria cresciam naquele ano nos Estados Unidos, devastado pela queda das Torres Gêmeas e baixa atividade econômica.

Basicamente, a explicação é que em tempos de crise, as pessoas compram mais cosméticos, por conta do baixo custo unitário, mas com foco na elevação da autoestima e inspiradas no lema “eu mereço um agrado”.

Os números da atividade econômica brasileira ainda não foram divulgados, mas as melhores expectativas apontam para um crescimento de 0%. O cenário adverso para a maioria dos setores pode confirmar a tese do Índice Batom. Grandes empresas do setor com atuação no País não têm reclamado. Prova disso foi a profusão de lançamentos.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosmética (Abihpec), o setor de cosméticos responde por 1,8% do PIB brasileiro e tem crescido a taxa média de 10% no ano. O País é o terceiro maior mercado de cosméticos do mundo. Fonte: IG

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.