Você conhece o seu perfil comportamental? Saiba como o Eneagrama pode ajudar

0 279

Por Fredy Figner, coach de treinamento e desenvolvimento 

Ter autoconhecimento é uma das coisas mais importantes da vida. Ele permite escolhas mais assertivas e sinceras, além de facilitar as tomadas de decisões. Faz com que você evite conflitos e atividades que não tem a ver com você ou com seu propósito, missão ou valores. Ao longo da história, o homem sempre buscou descobrir e entender uma pouco mais sobre seus sentimentos, emoções e reações.

No universo corporativo isso não é diferente. E uma das ferramentas mais poderosas que existem na atualidade quando se trata em desenvolvimentos de pessoas tem o nome de Eneagrama

Através da consciência de quem se é, tomamos posse das nossas fortalezas e dos nossos pontos de melhoria (gap´s). Nas empresas, essa ferramenta pode ajudar a entender o perfil profissional para selecionar, treinar, promover, etc. A realização de processos de coaching são uma grande oportunidade para que ferramentas como Eneagrama ajudem a entender um pouco mais sobre quem é aquele profissional e como é possível desenvolvê-lo.

Como coach e treinador comportamental, costumo utilizar a ferramenta do Eneagrama em minhas sessões de coaching ou mentoria, como também em meus treinamentos de liderança. E o resultado é sempre impressionante positivo. Uma das ferramentas mais interessantes que existem há centenas de anos.

O modelo do Eneagrama explica o comportamento humano com uma precisão que normalmente surpreende quem o conhece. Sua metodologia entende que existem nove tipos de perfis. Cada um deles esclarece e leva as pessoas a assumir as suas potencialidades e a pensar sobre os pontos mais fracos.

O Eneagrama original foi desenvolvido na antiguidade, mas sua origem exata ainda é desconhecida. Seu sistema foi introduzido pela primeira vez no Ocidente no início do século XX, com o trabalho do filósofo George I. Gurdjieff.

Academia

Hoje há vários professores e autores no mundo, como Helen Palmer e David Daniels da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, que dão validação científica e acadêmica para essa técnica. O mesmo se dá em diversas teses de mestrado e doutorado nos EUA e na Europa.

No mundo dos negócios, o Eneagrama vem sendo descoberto por alguns cursos de MBA de instituições como Stanford e Loyola, nos Estados Unidos, e no Brasil em instituições como Fundação Getúlio Vargas e Universidade de São Paulo.

No mesmo compasso, importantes organizações multinacionais também já utilizam o modelo do Eneagrama com suas equipes.

Eneagrama na prática

De forma prática, o especialista em Eneagrama aplica um teste com inúmeras perguntas, das quais resulta em um tipo de perfil predominante.

A metodologia do Eneagrama entende que existem Nove Tipos de perfil e cada pessoa se identifica com um destes tipos. Nenhum tipo é melhor do que o outro, pois todos apresentam qualidades e pontos a serem observados. Esses pontos de melhoria podem ser melhor gerenciados quando a auto observação amplia a consciência. Isso não quer dizer que não somos influenciados pelos outros oito tipos, mas com maior influência do predominante. Por isso é importante não criar um estereotipo ou julgamento de um tipo de perfil é melhor do que o outro.

Após identificar o seu perfil, muitas coisas farão sentido e outros comportamentos serão melhor avaliados. Tudo isso porque a consciência humana está mais alinhada à essência e isso faz uma grande diferença quando se trata de autoconhecimento.

Conheça de forma resumida, os nove tipos de perfil do Eneagrama:

 

Fonte IG
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.