Seu chefe é tóxico e inseguro? Aqui estão 8 indicativos que vão te ajudar a saber

0 200
por Marc Tawil, empreendedor e estrategista de comunicação e head da Tawil Comunicação

Chefes bárbaros (no mau sentido) sempre existiram. Acontece que, em pandemia, pressionado pelos números e por instâncias superiores, eles transformam dias de trabalho em experiências devastadoras para a saúde mental dos funcionários.

“Colaboradores não largam o emprego. Eles largam seus chefes.” O ditado não é novo, mas, infelizmente, a toxicidade das chefias assume novas formas todos os dias. Em pandemia, têm se multiplicado os relatos de líderes tiranos que se aproveitam do momento sensível do mundo para pressionar ainda mais seus liderados.

É verdade que diminuíram os gritos e até as perseguições. Aumentou, porém, o exercício do microgerenciamento, transformando em um inferno o dia-a-dia de times inteiros, por todo o País.

Nenhum atleta vira campeão só com elogios

Chefes bárbaros (no mau sentido) sempre existiram. Acontece que, em pandemia, pressionado pelos números e por instâncias superiores, eles transformam dias de trabalho em experiências devastadoras para a saúde mental dos funcionários.

Em pesquisa recente, o ResumeLab entrevistou 1 mil profissionais norte-americanos e descobriu que o comportamento tóxico de um líder influencia diretamente a vida pessoal do funcionário.

A mesma pesquisa trouxe um dado revelador: a paciência dos liderados para este tipo de comportamento é mais elástica do que se pensa. Profissionais podem tolerar um mau chefe por um a dois anos em 48% dos casos; e de três a cinco anos em 27% dos casos.

Ou seja, a maior parte está disposta a trabalhar sob os tentáculos de um mau gestor por um tempo considerável. Primeiro, por razões financeiras (75%) – medo de ficar desempregado ou a esperança de um futuro melhor no próprio emprego.

Outro dado que chama a atenção na pesquisa da ResumeLab é que 35% dos millennials pesquisados admitem suportar um chefe tóxico por um tempo considerável “porque entendem não possuir habilidades necessárias para fazer uma transição de carreira hoje”.

Como identificar a toxicidade?

Elenquei 8 sinais claros de que seu chefe é tóxico e inseguro:

1. Quando ele interfere tanto e “pitaca” tantas vezes ao dia nos seus afazeres, que não permite que você faça o seu próprio trabalho.

2. Quando, sem justificativa plausível, ele rejeita as suas ideias sistematicamente sem oferecer solução, feedback ou alternativa.

3. Quando ele só te apresenta feedbacks negativos, agressivos e sem jamais enxergar um ponto positivo.

4. Quando ele espera de você a perfeição, sem dar espaço para o erro. Quando o erro ocorre, ele deixa no ar a impressão de que você é o incompetente.

5. Quando ele tira toda sua autonomia, tendo de aprovar absolutamente tudo o que você faz, devendo passar por ele para seguir em frente.

6. Quando você é invariavelmente deixado de fora de temas importantes e isso passa a afetar a sua autoestima e produtividade.

7. Quando a regra é o desrespeito e comentários passivo-agressivos te diminuem, disfarçados de feedback.

8. Quando ele exige que você faça coisas fora do seu escopo ou que vão contra os seus valores, inferindo contra a sua integridade.

Líder ideal não existe. Pelo menos não eternamente. Entretanto, identificar os elementos que indicam que você está lidando com um chefe tóxico é fundamental para você acordar do pesadelo e não engordar a estatística dos “colaboradores que não largam o emprego, e sim seus chefes”.

 

 

 

 

 

 

Fonte Época Negócios
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.