Qual o legado que CEOS devem deixar para as próximas gerações?

0 121

*Por Celso Sato

Pensar em legado ou em reforçar uma ideia, que represente valores e princípios, tem sido latente nas empresas e nas inquietações da sociedade atual. Clientes e consumidores estão cada vez mais atentos às transformações do mercado e exigem posicionamentos das empresas. Posicionar-se de forma clara sobre o que é valor para você e para sua empresa, tem se tornado uma das pautas mais relevantes trazidas a debate, nos últimos meses.

Você já deve ter ouvido o termo ESG, que tem transformado o mundo dos investimentos. A sigla em inglês (Environmental, social and corporate governance), que nada mais é do que pensar em melhores práticas ambientais, sociais e de governança de sua empresa, de acordo com seus impactos e desempenho nessas três áreas, estão associadas a negócios sólidos, de baixo custo de capital e melhor resiliência, contra riscos ao clima e a sustentabilidade.

O que muitos empresários tem se perguntado, hoje, ou pelo menos deveriam é: Qual é o meu propósito e o que estou fazendo para a sociedade? Isso porque, o dono do capital tem a responsabilidade de manter o equilíbrio entre sociedade e empresa. O ambiente no qual o capital está trabalhando (a economia, a sociedade, o governo etc) precisa ter maturidade de entender que o maior retorno, vem no melhor prazo. Não é só o lucro que se coloca no ponto de decisão, mas a origem da forma de como foi construído determinado produto.

Essa tomada de consciência, que muitos investidores estão fazendo em prol de ter um ambiente saudável, a médio e longo prazo, viu-se que, se não tem ambiente, não existe negócio, e consequentemente, não tem como desenvolver o mundo e, isso, está inserido nos conceitos de ESG.

A grande questão é: Será que vale a pena comprar um produto onde existe sangue por detrás de sua produção? Isso é sustentável a médio e longo prazo? O mundo está se perguntando o quanto vale chegar a esse ponto, pois o capital, muitas vezes, não se aprofunda na forma com que esse valor é construído. O que se vê hoje é uma onda de se repensar o que queremos levar para o consumidor.

Celso Sato, presidente da Accesstage

Essa nova geração olha rótulos e são bem informados. Foi-se a época em que se conseguia camuflar o posicionamento da empresa perante o mercado. Por isso, retorno ao que disse no começo deste texto: posicione-se de forma bem clara sobre o que é valor para você e para sua empresa.

E isso não vale apenas para empresas de grande porte, o pequeno e o médio tem a mesma responsabilidade, claro, entendendo os limites que cada uma possui. Mas, para quem valoriza essa postura, tem crescido e já tem um público fidelizado que entende o que é importante.

Toda ideia de governança e sociabilização tem de começar a ser implementado, criar um viés, ainda que não atinja aos empresários de agora, se essa geração conseguir plantar a ideia para as futuras gerações, as próximas levantarão uma bandeira mais sustentável e responsável. Reforço que é uma tarefa designada aos CEOs, que são linha de frente do mercado. Legado se constrói em vida e se efetiva no futuro, com o reconhecimento de um trabalho bem servido à sociedade.

*Celso Sato é presidente da Accesstage, empresa de tecnologia integradora de soluções e serviços para a gestão de pagamentos, recebimentos e tráfego eletrônico de informações financeiras do país e também é colunista do portal NEWTRADE.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.