Cuidado com a síndrome da hiper produtividade

0 945

*Por Camila Pacheco

 

Há um ano, quando entramos na pandemia de Covid-19 e diferentes fases de restrição de mobilidade, o fenômeno das lives e cursos online tomou conta das redes sociais. Desde então, um outro fenômeno acontece em paralelo e acomete diversas pessoas: a síndrome da hiper produtividade.

Afinal, agora que está “em casa”, você tem muito tempo livre para ler mil livros, fazer mil cursos, assistir a todas as lives, participar de todas as aulas, interagir em todas as conferências e… entrar em pânico ao perceber que não dá para fazer nem 10% disso.

E eu te pergunto: quem é que disse que precisava fazer tudo isso? Quem é que inventou essa história e fez a gente engolir essa necessidade de hiper produtividade sem fim, levando todo mundo a uma estafa física e mental num momento já tão delicado da nossa sociedade? A gente precisa rever isso, gente. Mesmo.

É claro que a virtualização dos ambientes, que já acontecia, mas que foi potencialmente acelerada pela pandemia, trouxe benefícios e acesso a conteúdos nunca antes imaginados. E isso é muito legal, e deve ser aproveitado sim. Mas com critério, com cautela, com moderação, com senso de normalidade.

Camila Pacheco, sócia da Blue Numbers Consultoria

É muito legal você aproveitar o tempo que usava em deslocamento num curso legal, seja sobre o que for. Mas achar que você precisa usar todo e qualquer tempo livre para esse tipo de atividade é loucura. Até porque, estar trabalhando de casa não significa, nesta pandemia, obrigatoriamente ter mais tempo livre. Casa, família, refeições, limpeza, aula online das crianças, conferências…tudo isso também pode fazer parte do seu dia, e acrescentar mais uma lista de afazeres virtuais pode enlouquecer qualquer um.

Eu tenho percebido que as pessoas criaram um nível de expectativa completamente fora da realidade no que diz respeito à produtividade, como se fôssemos máquinas de absorção de conteúdo e produção. Cuidado. Domenico de Masi, em seu livro “O ócio criativo”, muito antes de ouvirmos falar em pandemia ou covid-19, já defendia a importância dos momentos de descanso, de “não fazer nada” para o processo criativo.

Lembre-se que neste momento você já está sobrecarregado apenas pelo fato de estar vivendo a pandemia. E que você precisa produzir sim, mas precisa também descansar, relaxar, ter momentos com a família e tentar, em meio a esse caos, desacelerar um pouco, porque não há saúde mental que resista a essa síndrome de hiper produtividade que assola as redes sociais.

Cuidado com o “acorde mais cedo que eles, trabalhe mais do que eles, se esforce mais do que eles”, porque enquanto você fica doente, eles estão descansando. Equilíbrio, meus amigos, equilíbrio. Não negligencie sua humanidade. Esforço sim, loucura não.

 

*Camila Pacheco é consultora empresarial e sócia da Blue Numbers Consultoria e colunista do Portal Newtrade

 

 

 

 

 

 

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.