As melhores universidades do mundo em 2022

0 1.025

Eleger as melhores universidades do mundo é uma tarefa complicada. Antes de tudo, é necessário escolher quais fatores serão analisados, qual o peso de cada critério e de que forma atribuir notas de forma justa.

É isso que fazem os rankings universitários: usar uma mesma régua para medir as diversas instituições de ensino superior. E é com base nesses critérios que eles decidem qual é a melhor universidade do mundo.

Assim, todos os anos, tais publicações lançam a classificação geral e específica de universidades ao redor do mundo.

Há listagens para programas de MBA, por exemplo, ou mesmo filtragens por área, como as Ciências Sociais. São diversas listas que podem ser úteis na hora de escolher uma universidade de destino para intercâmbio, graduação ou pós-graduação.

Conheça as melhores universidades do mundo, de acordo com dois rankings respeitados internacionalmente e entenda o método usado por cada um deles.

As melhores universidades do mundo em 2022, segundo o QS Ranking

Publicado pela Quacquarelli Symonds, do Reino Unido, esse ranking leva em conta seis fatores para estabelecer as instituições de destaque. São eles: reputação acadêmica, reputação junto aos empregadores, proporção entre o número de alunos e professores, citações por docente, proporção de professores estrangeiros e de alunos do exterior.

Na edição de 2022, já lançada pelo QS ranking, o MIT segue liderando como melhor universidade do mundo. Na segunda posição, entretanto, houve uma mudança significativa. A Universidade de Oxford saiu do 5° lugar e foi para o 2°, passando à frente de Stanford, que caiu para o 3° lugar. Empatada com Stanford, a Universidade de Cambridge saiu do 7° lugar e alcançou a terceira posição. Já a Universidade de Harvard caiu da terceira posição e passou para o 5° lugar do ranking. Neste ano, quem ficou de fora do top 5 foi a Caltech, que caiu do 4° para o 6° lugar.

No 7° lugar ficou a Imperial College London, na 8° posição ficaram empatados o ETH Zürich – Instituto Federal de Tecnologia de Zurique e a University College London (UCL). O 10° lugar é ocupado pela Universidade de Chicago.

Com exceção do ETH, o QS Ranking é liderado majoritariamente por intituições norte-americanas e britânicas. Entre as universidades da América Latina, as que ficaram em boas posições, foram: Universidade de Buenos Aires (UBA), em 69°; a Universidade Nacional Autónoma de México (UNAM), em 105°; a Universidade de São Paulo, em 121°; a Pontificia Universidad Católica de Chile (UC), em 135°; o mexicano Tecnológico de Monterrey, em 161°; e a Universidade do Chile, em 183°.

1) MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) – Pontuação: 100

Referência no mundo todo por suas pesquisas nas áreas de ciências exatas e biológicas, o MIT já formou mais de 80 laureados com o prêmio Nobel.

Localizado na cidade de Cambridge, nos EUA, ele foi fundado em 1861. O instituto encabeça o ranking da QS desde que a publicação se tornou autônoma, em 2019. Veja aqui tudo sobre o MIT!

2) Universidade de Oxford – Pontuação: 99.5

Foi a primeira universidade em língua inglesa do mundo e hoje é uma das mais conhecidas e respeitadas instituições de ensino superior do mundo. De tão antiga, não se sabe ao certo em que ano foi fundada. Historiadores afirmam que em 1096 começaram as primeiras aulas, mas ainda sem a estrutura de uma universidade. Oxford passa a crescer e a se fortalecer só em 1167, quando o rei da Inglaterra Henrique II proibiu alunos ingleses de estudarem na Universidade de Paris. A grande maioria, então, se matriculou em Oxford. Hoje, a universidade tem cerca de 22 mil alunos, distribuídos entre os cursos de graduação e de pós.

3) Universidade Stanford – Pontuação: 98.7

Leland Stanford Junior University, mais conhecida por Stanford University, foi fundada em 1891 pelo ex-governador e senador da Califórnia Leland Stanford e por sua esposa, Jane Lathrop Stanford, e recebeu esse nome em homenagem ao filho do casal, que havia morrido anos antes.

É conhecida como a universidade dos empreendedores: ex-alunos e professores fundaram grandes empresas, como HP, Google, Yahoo e Nike. Leia mais sobre ela neste link.

3) Universidade de Cambridge – Pontuação: 98.7

Universidade de Cambridge é a segunda mais antiga em língua inglesa do mundo, atrás de Oxford. Sua fundação remonta ao ano de 1209 quando alguns acadêmicos de Oxford se desentenderam com os nativos e acabaram, então, indo para Cambridge e fundando uma nova instituição.

A universidade tem 92 ganhadores do prêmio Nobel entre seus ex-alunos, professores e pesquisadores, como Isaac Newton (um dos maiores gênios da física), Charles Darwin (pai da teoria da evolução das espécies), Francis Bacon (criador do método científico), Alan Turing (formulador da teoria da computação) e Ian Wilmut (responsável pela primeira clonagem de mamíferos, a da ovelha Dolly). Veja mais sobre a Universidade de Cambridge aqui. 

5) Universidade Harvard – Pontuação: 98

Fundada em 1636, é a mais antiga e conhecida universidade dos Estados Unidos — e também já foi por muito tempo considerada a melhor universidade do mundo. Sinônimo de excelência no ensino superior, já formou mais de 320 mil alunos.

Por suas salas de aula passaram oito presidentes americanos, entre eles Barack Obama (Escola de Direito), George W. Bush (Escola de Negócios) e John Kennedy (Assuntos Internacionais), além de alguns dos intelectuais mais importantes da história. Confira aqui tudo sobre ela.

As melhores universidades do mundo em 2022 segundo o Times Higher Education

A publicação Times Higher Education analisa cinco aspectos ligados às universidades. Entre eles, estão a reputação acadêmica, bem como o volume de pesquisas realizadas e citações dos estudos produzidos na instituição de ensino.

Também são avaliados fatores ligados ao ambiente estudantil, como, por exemplo, a proporção entre o número de estudantes de PhD e de alunos da graduação. Levando tais critérios em conta, as melhores universidades do mundo são as seguintes:

1) Universidade de Oxford

Oxford, considerada a melhor universidade do mundo pelo ranking, tem uma tradição de excelência que se reflete em números. Por exemplo, lá estão 5% dos pesquisadores acadêmicos do Reino Unido e por lá se formaram figuras de destaque, 26 primeiros-ministros britânicos e 26 vencedores do Nobel. Saiba tudo sobre ela aqui.

= 2) Caltech (Instituto de Tecnologia da Califórnia)

No ranking do THE de 2022, o Caltech retornou para a segunda posição depois de ter caído para a quarta colocação em 2022. O que talvez traga mais orgulho aos estudantes da instituição é que nesse ranking eles ficam à frente do MIT.

Há uma rivalidade amigável de longa data entre as duas instituições, que são polos de pesquisa em tecnologia localizadas em lados opostos dos EUA. Enquanto o MIT fica próximo da costa leste, o Caltech é praticamente seu equivalente na costa oeste. Veja aqui tudo sobre o Caltech.

= 2) Universidade Harvard

Empatada com a CalTech no ranking da THE de 2022, a Universidade Harvard deu um belo salto nos últimos anos: saiu da sétima posição em 2020 para a terceira em 2021, tirando até mesmo a Universidade de Cambridge do top 5, e agora assumiu a 2ª posição junto à Caltech.

Ela se tornou, com isso, a universidade do top 5 com distribuição mais igualitária entre estudantes homens e mulheres: por lá, de cada 100 alunos, 51 se identificam com o gênero masculino e 49 com o feminino. Veja aqui tudo sobre Harvard, e neste link um guia de como entrar lá.

3) Universidade Stanford

No ranking de 2021 da THE, a Universidade Stanford caiu da 2ª posição (que ocupava em 2021) para a terceira. Com isso, ela superou instituições como o MIT, que tradicionalmente ganhavam a medalha de prata.

Um ponto interessante é que ela tem uma proporção muito mais equilibrada entre estudantes homens e mulheres: a proporção entre eles e elas é de 56% a 44%, segundo o ranking. Saiba tudo sobre Stanford neste link.

=5) Universidade de Cambridge

Depois de passar um ano fora das 5 melhores universidades do mundo do THE, a Universidade de Cambridge voltou para o ranking de 2022. Ela é uma das mais tradicionais instituições de ensino do Reino Unido.

Na origem, a instituição foi criada por pesquisadores da Universidade de Oxford que, por estarem insatisfeitos com algumas mudanças, decidiram criar uma nova universidade.

5) MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts)

Considerada a melhor universidade do mundo pelo ranking da QS, o MIT fica “apenas” em quinto lugar no ranking da Times Higher Education, empatado com Cambridge e atrás da sua rival da costa oeste, o Caltech.

Apesar disso, o MIT é uma instituição bem maior: tem mais de 11 mil estudantes (contra cerca de 2,2 mil do Caltech). Também é mais igualitária em termos de gênero: 39% dos seus estudantes são mulheres (contra 36% do Caltech). Confira aqui tudo sobre o MIT.

Sobre as classificações

Esses rankings consideram as universidades em seus aspectos gerais. No entanto, a QS também elabora anualmente um ranking de melhores universidades do mundo em cada área de estudos. Nesse caso, há uma variedade maior de universidades entre o top 10, e algumas áreas dão lugar para que universidades menos tradicionais se destaquem. Confira aqui o ranking de melhores universidades por área em 2021.

O MIT não fica longe. A escola tem uma forte cultura empresarial e as receitas agregadas das empresas fundadas por ex-alunos do MIT seriam, juntas, classificadas como a décima primeira maior economia do mundo. Outra instituição que aparece entre as cinco melhores do QS Ranking, o Caltech também é conhecido por pesquisas de ponta que produz, e fica às vezes na posição de melhor universidade do mundo também. E também por seus laboratórios, como o Laboratório de Propulsão de Foguetes da NASA, agência espacial americana. Ele nasceu no Caltech e ainda hoje é tocado por professores e alunos da universidade.

Histórico e comparação

É comum que as organizações por trás dos rankings divulguem cada edição anual antes do início do ano que lhe dá nome. As duas organizações costumam concordar bastante sobre quais são as melhores universidades do mundo. As primeiras posições dos dois rankings frequentemente trazem muitas instituições em comum, ainda que em ordem diferentes. Mas há algumas distinções notáveis que surgiram entre eles ao longo do tempo.

Em geral, por exemplo, o QS costuma dar mais espaço a universidades fora do eixo EUA-Reino Unido. Entre as 25 primeiras posições do ranking da THE de 2021, 20 são de universidades britânicas ou estadunidenses (e uma das exceções é no Canadá). A que aparece na colocação mais alta é a ETH Zurich, em 14º.

Já no ranking de 2021 da QS, há 8 instituições no top 25 que não são dos EUA ou Reino Unido. A mais bem-colocada delas é (de novo) a ETH Zurich, mas ela aparece na 6ª posição. E há ainda a National University of Singapore em 11º, a Nanyang Technical University em 13º e a EPFL em 14º.

Nos dois rankings, instituições da Ásia em geral — e da China em especial — vêm ganhando destaque nos últimos anos. Ao divulgar seu ranking mais recente, a THE comentou que “em muitos aspectos, as conquistas recordistas da China — como ser o lar da primeira universidade asiática a entrar no nosso top 20 — são os destaques mais cativantes”.

Fonte Estudar Fora
Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.