5 itens que não podem faltar no seu perfil do LinkedIn em tempos de recrutamento online

0 176

Dúvida do leitor: Estou buscando uma transição de carreira e, por isso, quero dar uma atualizada no meu perfil no LinkedIn. Vocês têm alguma dica ou orientação?

Resposta de Ana Claudia Plihal, diretora do LinkedIn

Durante a pandemia, muitos profissionais passaram a refletir de forma mais profunda sobre sua trajetória profissional, seus propósitos e muitos decidiram buscar uma transição de carreira.

E com a pandemia e as consequentes medidas de distanciamento social, manter o perfil atualizado é ainda mais importante para conseguir chamar a atenção dos recrutadores no mundo virtual e fazer esse movimento de carreira da melhor forma possível.

Listei a seguir cinco itens que considero essenciais para que o seu perfil seja notado pelos recrutadores e cause uma boa impressão.

1) Dados básicos

A primeira dica é ter as informações básicas preenchidas no perfil, como localização, cargo, experiência anterior, habilidades, título, foto e um resumo sobre quem é você, seus objetivos e sua trajetória profissional.

Esse resumo deve ter, no máximo, três parágrafos e incluir suas conquistas e habilidades, pois é a primeira coisa que os recrutadores olham em um perfil.

Ele também precisa conter as palavras-chave que te ajudariam a ser encontrado por pessoas ou empresas. Uma dica é se perguntar: quais são as palavras mais utilizadas no setor em que você pretende atuar? Essas são as palavras que precisam conter no perfil.

Se você busca uma colocação no mercado financeiro, por exemplo, você pode usar as palavras “especialista em mercado financeiro” ou “profissional de finanças”.

Se for algo mais específico, lembre de mencionar os termos que permitem identificar essa especialização. Por exemplo, em vez de mencionar apenas que você é “video maker” ou “editor de vídeos”, detalhe: “editor de vídeos, com domínio sobre os programas Final Cut e Adobe Première”.

2) Cursos e experiências extracurriculares

Inclua também trabalhos voluntários, intercâmbios, trajetórias acadêmicas, idiomas e certificados.

É possível ainda compartilhar anexos e links como portfólio, trabalhos da universidade que receberam uma boa avaliação, conteúdos produzidos, ou algum projeto paralelo.

3) Informações organizadas cronologicamente

No caso de muitas experiências, pense na lógica do triângulo invertido. Uma experiência recente será sempre mais relevante para o recrutador do que algo feito há 10 anos. Por isso, os cargos mais recentes devem ser mais detalhados e os mais antigos, não precisam conter tantas informações.

4) Conexões

Depois de um bom perfil construído, conecte-se com quem você conhece. Comece com amigos, família, professores, colegas de sala, orientadores e mentores, eles podem gostar do seu perfil e indicá-lo(a) para oportunidades, networkings, projetos ou parcerias.

Lembre-se de que o LinkedIn é uma rede qualitativa e não quantitativa, logo, se você adicionar diversas pessoas que não são da sua área ou que não conhece, há uma grande chance do seu feed de atualizações mostrar publicações que não são relevantes.

5) Artigos e posts

Você também pode produzir conteúdos sobre sua área de conhecimento ou emitir opiniões por meio de artigos, posts, fotos e vídeos.

Quem é mais ativo na rede social tem mais chance de chegar a um número enorme de pessoas e criar uma comunidade em torno da sua marca profissional. Afinal, quem não é visto, não é lembrado.

Fonte Infomoney
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.