3 estratégias para lidar com chefes difíceis

0 178

Lidar com chefes difíceis se resume à comunicação, destaca a bioeticista e escritora Elizabeth Yuko em artigo no site Thrive Global. Para ilustrar a importância de se ter algumas cartas na manga quando se trata dessa relação profissional, a autora traz dois dados impactantes.

Cerca de 75% dos americanos considera que o chefe seja “a parte mais estressante do seu dia de trabalho”, segundo um estudo da Associação Americana de Psicologia. Além disso, uma pesquisa recente da empresa de estudos de opinião Gallup, com 2,5 milhões de equipes mostrou que cerca de metade dos funcionários americanos já deixaram um emprego “para fugir de seus gerentes em algum momento de suas carreiras”.

“Não deveria ser preciso deixar um emprego – com algumas ferramentas de comunicação consciente, é possível alcançar até (ou pelo menos encontrar uma maneira de trabalhar com) os piores chefes.” Confira o que ela indica para lidar com três dos tipos mais difíceis de chefes!

3 estratégias para lidar com chefes difíceis

Chefe #1 “O Microgerenciador”

A maioria dos profissionais valoriza (pelo menos certa) autonomia. Por isso, os “microgerenciadores”, que querem checar constantemente cada aspecto das tarefas, incomodam tanto.

Como lidar com alguém que insiste em controlar tudo? De acordo com Suzy Welch, ex-editora-chefe da Harvard Business Review e autora de best-sellers, o truque aqui é uma comunicação eficaz e consciente.

Segundo a especialista, as pessoas se sentem “microgerenciadas” porque seus chefes não confiam nelas para fazer seu trabalho. A solução? “exagerar na comunicação”. “Sobrecarregue-os com evidências de sua competência e caráter”, sugere Welch, e “antecipe suas preocupações” falando sobre tudo que pode surgir como uma questão posteriormente. Quanto menos surpresas, melhor.

Chefe #2 “O Fantasma”

A autora do texto no Thrive define o “chefe fantasma” como aquele que “você vê em todas as reuniões da empresa ou em uma thread de e-mail, mas quando se trata de gerenciar o dia a dia, nunca estão por perto.”

Então, o que você deve fazer se passa por isso? Mais uma vez, é sobre sua comunicação.

“Mesmo que pareça que seu chefe está ignorando você, continue a mantê-lo informado, seja por incluí-lo em determinados e-mails ou por estabelecer um horário regular para fazer o check-in”, Sara Sutton Fell, CEO e fundadora da FlexJobs, diz à revista Forbes.

Se seu chefe raramente responde a e-mails, por exemplo, priorize o que você está enviando – não entre em contato sobre cada pequeno detalhe. “E falando em prioridades, é exatamente sobre isso que você deve estar perguntando ao seu chefe: em quais tarefas ou projetos deve se concentrar primeiro ou são os mais importantes”, explica Lynn Talor, autora do livro Tame Your Terrible Office.

Dessa forma, você poderá se manter no controle do seu trabalho o máximo possível e ainda terá um registro de (tentar) checar com ele suas prioridades.

Chefe #3 “O Descarregador de tarefas”

Por fim, o “descarregador de tarefas”, que não para de adicionar mais coisas ao seu “prato”. “Pode parecer um elogio – um sinal claro de que você consegue lidar com as coisas”, afirma Yuko. Mas, na realidade, a história muda de tom muito rápido porque essa prática simplesmente não é sustentável.

Então, como você informa seu chefe de que não consegue lidar com outro projeto? “Você precisa fazer mais do que simplesmente comunicar que há um problema: também precisa entrar com uma solução.”

Em um artigo da Harvard Business Review, Julie Morgenstern, especialista em produtividade e autora de Never Check E-Mail In The Morning, explica que você precisa entrar nessa conversa com a mentalidade certa: mostrando como os dois tem os mesmos objetivos, de atingir as metas da empresa.

Comece com os objetivos compartilhados, antes de passar para o que está atrapalhando o cumprimento dessas metas, sendo o mais específico possível.

“A chave aqui é oferecer três soluções para cada problema que você apresentar ao seu gerente”, aconselha Morgenstern. Por exemplo, se você quer que seu chefe saiba que você está com muita carga de trabalho devido a um projeto demorado, sugira que a tarefa seja feita trimestralmente – em vez de mensalmente – ou que certas partes do projeto sejam delegadas aos seus colegas, ou que a organização contrate um funcionário temporário para ajudar.

Quando em dúvida, Morgenstern sugere identificar “tarefas que podem ser atrasadas, delegadas, excluídas ou diminuídas”.

Fonte Época Negócios
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.