Festa Junina à vista: como as vendas sazonais podem ser oportunidades para o atacado distribuidor

0 442

por Rafael Martins*

Maio de 2022 – Com a retomada das atividades presenciais, seguida da liberação da capacidade máxima em eventos e da não obrigatoriedade do uso de máscaras em muitos locais, a economia voltou a ser fomentada com mais potência em uma onda crescente desde o início do ano. Isso porque a maior movimentação das pessoas gera mais possibilidades para os comércios.

A volta de comemorações sazonais, que não aconteciam desde o início de 2020, já aparecem como um dos principais estímulos do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Segundo o Monitor do PIB, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em fevereiro deste ano o aumento já foi de 0,6% na comparação com o mês anterior, tendo sido alavancado pelo setor de serviços que voltou a funcionar a todo vapor.

Para os atacadistas e distribuidores, as vendas sazonais, nessa nova realidade pós-Covid, podem ser ainda mais crescentes, considerando que as novas expectativas também envolvem um anseio por experiências melhores após um longo período de pausa mundial nos eventos. Por isso, é importante se manter preparado para que seja possível garantir a venda dessas experiências, e que sejam positivas o suficiente a ponto de fidelizar o consumidor.

De imediato, é indispensável que o atacadista saiba identificar a sazonalidade de vendas do segmento de sua empresa para que possa se preparar previamente a cada data, considerando demandas, comportamentos e variações, entre outros fatores que possam interferir nos resultados. Outro ponto que pode auxiliar no momento de planejar ações específicas é considerar o histórico de vendas dos produtos e os costumes do seu público-alvo.

As datas cíclicas podem ser divididas em comemorativas, como é a Festa Junina, ou em promocionais, como a famosa Black Friday, e, em ambos os casos, é preciso o estudo do mercado e o preparo da organização. Entre as boas práticas para lidar com as demandas desses períodos estão as tecnologias que apoiam nas análises do setor, vendas do e-commerce e na logística de entrega e de armazenamento.

Ou seja, é imprescindível que os atacadistas e distribuidores tenham ferramentas que apoiem a jornada de atendimento de seus clientes de ponta a ponta. As vendas e a logística estão muito atreladas, principalmente nesses períodos em que é preciso se atentar às demandas de estoque e datas de entrega. Também faz parte da estratégia sazonal de vendas montar um checklist periódico do planejamento a fim de realizar possíveis mudanças, além de capacitar a equipe e realizar promoções antes do fim de uma temporada.

Empresas que pretendem aproveitar as oportunidades de eventos sazonais precisam inserir melhores práticas tecnológicas e de gestão em suas ações. Somente assim o retorno será favorável, principalmente para superar as oscilações vividas durante os últimos anos pandêmicos.

*Rafael Martins é CEO do Grupo Máxima, líder em soluções de força de vendas e e-commerce, trade marketing e logística para a cadeia de abastecimento. Com formação em Tecnologia da Informação pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e pós-graduação em Qualidade de Software pela Universidade Católica de Goiás (UCG), o executivo atuou por mais de dez anos na PC Sistemas (atual Totvs), onde desenvolveu vasta experiência na construção de sistemas  para o mercado atacadista distribuidor, como o ERP  WinThor.

 

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.