Varejo cresce 7,2% em julho, de acordo o ICVA

0 849

As vendas no Varejo no mês de julho cresceram 7,2%, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês de 2020. Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) registrou alta de 21,6%.

Efeitos de calendário beneficiaram o resultado de julho deste ano. Houve um sábado, dia forte para o comércio, a mais e uma quarta-feira, data em que a movimentação do comércio é menor, a menos em relação a julho do ano passado. Sem tais efeitos de calendário, o índice registrou alta de 6,5%, descontada a inflação. Em termos nominais, com os ajustes de calendário, o faturamento subiu 20,7%.

“O patamar de faturamento do varejo continua, em termos nominais, próximo àquele observado no período pré-pandemia.”, afirma Pedro Lippi, Head de Inteligência da Cielo. “No entanto, esse crescimento está associado ao aumento da inflação no período. Desconsiderando esse efeito, o Varejo ainda está cerca de 14% abaixo do patamar observado em 2019”.

Inflação

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pelo IBGE, apontou alta de 8,99% no acumulado dos últimos 12 meses, com alta de 0,96% em julho. Os reajustes no preço da energia elétrica foram a principal causa do aumento do índice. Ao ponderar o IPCA pelos setores e pesos do ICVA, a inflação no varejo ampliado foi de 13,3%, acelerando em relação ao índice registrado no mês anterior.

Setores

Descontada a inflação e com o ajuste de calendário, o macrossetor de Serviços sofreu aceleração na passagem mensal, enquanto Bens Duráveis e Semiduráveis e Bens Não Duráveis experimentaram desaceleração.

No macrossetor de Serviços, os destaques da aceleração foram Bares e Restaurantes e Turismo e Transporte.

No macrossetor de Bens Duráveis e Semiduráveis, Materiais para Construção e Vestuário foram os que mais contribuíram para a desaceleração.

Já no macrossetor de Bens Não Duráveis, os setores que mais colaboraram para a desaceleração foram Veterinárias e Pet-shops e Drogarias e Farmácias.

Regiões

De acordo com o ICVA deflacionado e com ajuste de calendário, todas as regiões do país apresentaram crescimento em relação a julho do ano passado. A região Nordeste registrou alta de 9,3%, seguida do Centro-Oeste (+8,2%), Sul (+7,2%), Sudeste (+6,5%) e Norte (+4,1%).

Pelo ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação – e com ajuste calendário, a região Nordeste registrou aumento de 24,2% nas vendas. Na sequência aparecem: Centro-Oeste (+22,0%), Sudeste (+20,6%), Norte (+19,2%) e Sul (+17,8%).

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.