Inovar na crise é questão de sobrevivência

0 71

Camila Pacheco*

Muito se fala sobre a cultura de inovação. Mas você sabe exatamente o que isso quer dizer, e como aplicá-la no seu dia a dia?

Cultura de inovação pode ser entendida como uma nova forma de enxergar e atender a necessidade de inovar. Vai muito além de ter novas ideias. É propiciar um ambiente e agir de forma a enxergar os processos e hábitos que tornam a inovação uma prática constante. É preciso entender o questionamento constante como benefício e gatilho para a inovação, em todas as áreas da empresa, em todas as suas decisões.

Se inovar já era importante antes da crise, imagina agora. Se reinventar é hoje questão de sobrevivência para que as empresas consigam se relacionar a distância com os consumidores, que adquiriram novos hábitos desde que toda a pandemia começou.

Leia mais: Como avaliar investimento em prevenção de perdas

De acordo com dados da NeoTrust e da Compre e Confie, nada menos que 5,7 milhões de brasileiros compraram através da internet pela primeira vez, durante os meses de abril e junho deste ano – pico das ações de isolamento social no Brasil. Hoje, é muito provável que esse número já tenha ultrapassado os 6 milhões. É muita gente adquirindo novos hábitos de compra. O consumidor está mudando, e muito rápido.

Camila Pacheco, sócia da Blue Numbers Consultoria

Se antigamente as empresas grandes engoliam as pequenas, seria correto atualizar a frase e dizer que hoje as empresas ágeis, que se reinventam e inovam, são as que ultrapassam as que dominam o mercado. Como a necessidade é a mãe da inovação, essa pandemia tem nos deixado inúmeros exemplos que diariamente empreendedores têm colocado em prática.

Nos canais de venda, na comunicação, nos produtos e serviços, nos meios de pagamento, na forma de entrega… em tudo dá para inovar. É só navegar alguns minutos em alguma rede social, que você encontra alguém vendendo algo diferente, de um jeito diferente.

Sem dúvida alguma, estamos passando por um momento intenso de inovação. E mesmo quando tudo isso passar (o que a gente torce pra ser bem rápido), esse aprendizado vai ficar. E quem conseguiu inovar, estará na frente.

*É consultora empresarial e sócia da Blue Numbers Consultoria e colunista do Portal NEWTRADE 

 

 

 

 

 

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.