Estudo do Google revela comportamento para o Dia do Consumidor

0 152

Dia do Consumidor, celebrado em 15 de março, cresce a cada ano. Não se resume mais em apenas um dia: ele movimenta uma semana inteira de ofertas. De acordo com dados do Ebit, no ano passado, o faturamento da Semana do Consumidor chegou a R$ 1,174 bilhão. Já no Google, as buscas pelo Dia do Consumidor cresceram 20% em 2019 com relação a 2018.

Com a proximidade da data, o Google apresenta sua tradicional pesquisa sobre o comportamento de consumo dos brasileiros. Os dados foram obtidos por meio de uma Google Survey, ferramenta de pesquisa online que permitiu entrevistar mil pessoas. Além disso, possibilita uma análise do comportamento dos brasileiros que pesquisam sobre a data no buscador.

A data é do consumidor

Criada para celebrar os direitos do consumidor, o Dia do Consumidor se tornou relevante para o varejo brasileiro apenas em 2014. A data cresce a cada ano e, por ser o “seu dia”, o consumidor quer mais do que grandes descontos e espera que as empresas façam mais por ele, oferecendo benefícios e mimos.

Entre os benefícios além de descontos, frete grátis ainda aparece como o principal diferencial (53%). Porém, condições de pagamento especiais (15%), pontos extras em programas de fidelidade (12%), cashback (7%) e seguro/garantia estendida gratuita (7%) ganharam relevância em 2020.

Os direitos do consumidor

Para os entrevistados, o direito mais importante do consumidor é o de atendimento atencioso (22%). Ele é seguido por promoções/propagandas honestas (21%), produto entregue no prazo (14%), trocar produtos defeituosos (14%), estorno de compras canceladas (14%) e estorno de cobranças indevidas (12%).

Ainda segundo os entrevistados, o direito menos respeitado do consumidor é o de ter acesso a promoções/propagandas honestas (21%). Além disso, trocar produtos defeituosos (18%), atendimento atencioso (17%), entrega no prazo (15%), estorno de cobranças indevidas (13%) e estorno de compras canceladas (12%) vêm logo em seguida.

Potencial da data para 2020

O estudo revela que o brasileiro começou o ano mais otimista em relação à economia do país e ao próprio bolso. Por consequência, essa relação reflete em uma maior intenção de compra. Cerca de 35% dos entrevistados declararam estar bastante otimistas com a economia do Brasil em 2020 e 17% disseram estar bastante pessimistas. Considerando as finanças pessoais dos entrevistados, 34% afirmaram estar em situação muito melhor ante o ano passado e apenas 12% sinalizaram estar muito pior.

Categorias em alta

Ao considerar os produtos que os brasileiros pretendem adquirir no primeiro semestre de 2020, roupas e calçados apresentam a maior intenção de compra para o primeiro semestre (28%). Em seguida, aparecem os smartphones (24%), eletrônicos (24%), alimentos e bebidas (23%), móveis (19%) e eletrodomésticos e eletroportáteis (16%).

No entanto, esses números mudam quando consideramos quem pretende esperar especificamente pelo Dia do Consumidor para efetuar a compra. Os smartphones estão na liderança das intenções de compra (28%). São seguidos por roupas e calçados (27%), eletrônicos (26%), móveis (21%), eletrodomésticos e eletroportáteis (19%) e alimentos e bebidas (19%).

Os smartphones também são líderes quando consideramos qual produto os consumidores mais querem ver em promoção na data. Por isso, são citados por 22% dos entrevistados. Roupas e calçados (13%) aparecem em seguida. Ademais, TVs (6%), computadores e eletrônicos (6%), alimentos (5%), móveis (5%), videogames (4%), eletrodomésticos e portáteis (4%) e itens de beleza (1%) também foram citados.

Fonte e-commerce brasil
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.