Embrapa e Abras querem reduzir perdas de alimentos no varejo

0 79

Entre a colheita e a mesa do consumidor, cerca de 40% de frutas e hortaliças são perdidas. As razões vão desde a falta de cuidados no transporte até o armazenamento incorreto. Mas dicas simples podem ajudar a reduzir esse índice. Essa é a proposta dos folhetos que serão lançados no dia 14, no 7º Fórum de Prevenção de Perdas e Desperdício de Alimentos, promovido pela Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), em São Paulo.

Produzidos com o apoio da ABRAS, “Pega Leve” e “Fique Frio” trazem dicas destinadas ao varejo, com ilustrações e informações que podem contribuir para mudar o panorama atual de perdas no País. O folheto Pega Leve é direcionado ao manuseio, enquanto o Fica Frio é voltado ao gerenciamento da temperatura.

A iniciativa é do pesquisador Marcos David Ferreira, da Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP), que também vai abordar o tema durante palestra sobre “Tecnologias para redução nas perdas pós-colheita em frutas e hortaliças”, às 15 horas, no Fórum da ABRAS, que acontecerá no Espaço Infinitto, na Vila Leopoldina, capital paulista.

De acordo com o pesquisador, o caminho percorrido até o consumidor inclui diversas etapas, mas é na manipulação entre o início e o fim da operação que as perdas são maiores. “Assim, de 10 caixas produzidas no campo, 4 não chegam ao consumo. Literalmente se perdem no caminho, jogando fora não só o produto, mas recursos utilizados na produção, transporte, entre outras fases”, avalia.

Ele explica que as perdas ocorrem no início pela classificação, embalagem, entre outros descuidos, falta de conhecimento, e depois na etapa de exposição no varejo e no manuseio pelo consumidor na hora da compra. “A mão de obra utilizada no varejo na manipulação de frutas e hortaliças, muitas vezes é sazonal. Assim, uma das formas de modificar esta situação é a conscientização e treinamento”, diz.

Marcos David aponta dois aspectos importantes para provocar mudanças no panorama atual – cuidado no manuseio e acondicionamento em temperaturas apropriadas. “Frutas e hortaliças são produtos vivos, respirando, e cada um tem características próprias. Esses folhetos têm o objetivo de passar informações de maneira simples, por meio de anagramas, que auxiliam o varejo na redução das perdas para ganhos para todo o setor”.

O pesquisador se dedica ao estudo de perdas e desperdícios há mais de 20 anos. De 26 a 30 de agosto acontecerá o Curso de Tecnologia Pós-Colheita em Frutas e Hortaliças, na Embrapa Instrumentação, em São Carlos (SP). Este ano, o evento que está na 6ª edição terá 100 participantes de diversas áreas do conhecimento e vários estados brasileiros.

As ações envolvem a cadeia produtiva do pós-colheita, incluindo o setor supermercadista, que gera diretamente mais de 1,8 milhão de empregos. O segmento registrou um índice de 1,82% de perdas em 2017, o que resultou em R$ 6,4 bilhões do faturamento bruto da cadeia, de acordo com a avaliação do Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA/Provar). Durante o fórum, será divulgado a 19ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro de Supermercados.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.