Tecnologia: conheça as principais soluções para o varejo

0 419

Por Adriana Bruno

Pouco a pouco, a tecnologia vem mudando a cara do varejo. Integração de loja física e online, melhoria na gestão de dados, na experiência do consumidor e nas operações de uma forma geral, redução de filas, novas ferramentas para pagamento, maior controle de custos, estoque, soluções para frente de caixa.

A lista é grande e adotar ao menos algumas soluções é uma estratégia fundamental para varejistas de todos os portes. Aumentar a competitividade das lojas, a entrega de serviços e soluções para os clientes, a segurança nas operações internas e, consequentemente, alcançar a melhoria nos resultados do negócio são alguns dos benefícios que o uso da tecnologia traz para o varejo. E para mostrar um pouco do que há de mais atual nesse segmento, o Portal Newtrade separou algumas das soluções disponíveis no mercado para setores cruciais do negócio.  Confira:

Compras

Desenvolvido pela Senior, o Gestão de Compras é uma solução direcionada a varejistas, distribuidores e empresas de qualquer segmento que busquem aliar tecnologia e estratégia para melhorar o controle dos estoques. Com a ferramenta é possível controlar os custos da área de compras e o sistema traz aplicação de inteligência artificial, que permite a automação do levantamento de dados. Com base no histórico de compras da empresa, sazonalidade de vendas e preços praticados, a solução sugere os produtos que precisam ser repostos no estoque, garantindo a melhoria nos investimentos de compras. “O grande diferencial do Gestão de Compras da Senior é que a automação garante à empresa uma gama de dados que facilita a rotina, reduzindo tempo com trabalho operacional e garantindo mais confiabilidade para a realização dos investimentos. Assim, a empresa consegue adquirir produtos por preços melhores, em quantidades que estejam alinhadas à sua realidade, sem deixar de analisar particularidades comuns na gestão dos estoques, como períodos de aumento de vendas por datas comemorativas, por exemplo”, avalia o gerente de Produto da Senior, Fernando Silva.

Loja física e online

Unir o físico ao online é mais do que uma tendência mas uma necessidade para o varejo. Além disso, os marketplaces se popularizaram e não podem ser ignorados. Para quem já está de olho nisso, a LifeApps lançou a plataforma SuperOn. Trata-se de um marketplace que permite ao varejista levar a sua loja física para o meio virtual através de aplicativo no celular e portal web. Com interface simples, o usuário seleciona o que quer comprar e ainda pode trocar mensagens com o estabelecimento, especificando os pedidos ao seu gosto. 

A solução traz ambiente virtual pronto, contendo opções de lojas para conectar de acordo com cada segmento. A empresa ainda disponibiliza um time de especialistas para apoiar nas melhorias desejadas pelo cliente.

Atualmente, 25% das vendas do e-commerce acontecem por meio de marketplaces.

Para quem deseja criar um aplicativo próprio, a empresa disponibiliza sua plataforma LifeApps E-commerce. A  solução é implementada de forma remota e em até 30 dias após a integração com o software de gestão do estabelecimento. Para a versão marketplace, a implementação ocorre em 24 horas. Com a loja virtual no ar, os estabelecimentos experimentam um aumento de 180% no valor do ticket médio em comparação à loja física.

 Atendimento ao cliente

Um setor crucial no varejo é o de atendimento ao cliente e para oferecer uma solução mais eficaz ao consumidor, a Hi Platform lançou a Hi Omni, uma plataforma de integração de atendimento para possibilitar que empresas ofereçam a seus consumidores o registro do atendimento em todos os pontos de contato, seja nos tradicionais, como telefone, e-mail, ticket e chat, ou seja em aplicativos, Facebook, Twitter e Instagram, em tempo real“Trata-se de uma proposta multicanal de verdade. Isso porque é a primeira iniciativa brasileira de integrar verdadeiramente canais de atendimento, o que vai possibilitar às empresas atender o consumidor de ponta a ponta, por meio de uma visão única do atendimento. É uma forma de resolver uma das principais dores do consumidor, que realmente não gosta de repetir seus pedidos mais de uma vez”, explica Ricardo Heidorn, diretor comercial e sócio fundador da Hi Platform.

Solução para o checkout

Para Adriano Sambugaro, diretor de Marketing da Gunnebo, a fila no checkout tem a ver com qualidade de atendimento, aumento nas vendas, produtividade de setor, satisfação e fidelização do cliente.  De olho nesses gargalos, a Gunnebo traz para o varejo brasileiro o Safepay, modelo de sistema de gestão de numerário em que toda a operação é automatizada no PDV, onde o próprio cliente faz o pagamento e recebe o troco, sem qualquer intervenção humana. A tecnologia proporciona uma melhor experiência ao consumidor, com agilidade e sem erros. “O operador de caixa pode focar-se totalmente em um atendimento mais personalizado, tornando o relacionamento cordial, consultivo e ainda mais assertivo”, diz Sambugaro.

Além da agilidade no atendimento e melhor experiência de compra ao cliente, o Safepay proporciona segurança às operações de caixa, realizadas de forma inteligente. Em caso de notas falsas, a operação é rejeitada. As cédulas e moedas ficam o tempo todo dentro do cofre, protegidas de furtos e roubos, com todas as transações registradas por meio do software CashControl. “Em outras palavras, ele automatiza o recebimento em dinheiro oferecendo um ciclo fechado de numerário, onde o dinheiro é monitorado e fica seguro em todo o processo. Portanto, discrepâncias de caixa são excluídas “, diz Sambugaro.

 Gestão operacional

Desenvolvida na nuvem e pensada para atender, exclusivamente, as dores do setor varejista, a ROC – Retail Operations Center é a ferramenta de gestão  desenvolvida pela TOTVS que tem o objetivo de monitorar toda a operação no ponto de venda, garantindo a prevenção de erros, integração e funcionamento de todo sistema. “Se um cliente chega na sua loja e você está sem sistema, dificilmente aquele cliente voltará para finalizar a compra em outro momento. Perder um dia no PDV pode custar muito caro para o empresário. Isso torna indispensável ter uma visão completa do que está acontecendo em todas as lojas, facilitando a tomada de decisões dos gestores de TI em possíveis falhas”, destaca Elói Assis, diretor-executivo de Varejo da TOTVS.

O objetivo do ROC é identificar possíveis eventos que demandem alguma ação preventiva ou corretiva, permitindo o monitoramento completo de hardware e software. Incluindo até problemas de atualização de sistemas e dados entre os sistemas centrais e os PDVs, que podem prejudicar os resultados dos varejistas devido a preços desatualizados e cupons não entregues para contabilização.

 

 

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.