Exclusivo: Target apresenta nova fase e planos de expansão

0 33

Nova identidade visual, novos produtos e novas versões de produtos já consolidados, ampliação da equipe e novas unidades de atendimento definem o novo posicionamento da Target, empresa de soluções tecnológicas focada no setor atacadista e distribuidor. Atualmente, a carteira de clientes da empresa é composta por 240 clientes distribuidores, sendo que dez deles também atuam como atacadistas. Para a realização do projeto e a geração de soluções capazes de responder adequadamente aos negócios do segmento, a empresa investiu um milhão de reais. Com crescimento 24% superior ao ano de 2012, a Target faturou 11 milhões de reais em 2013. Rafael Rojas Filho, sócio-fundador da companhia, fala sobre os planos da Target para essa nova fase.

1- Como surgiu a necessidade de fortalecer o posicionamento da empresa?
A reformulação da marca é parte do trabalho de uma comunicação mais eficaz que a Target pretende ter com o mercado. Estamos indo para regiões onde atuávamos menos e essa necessidade de diálogo acabou nos levando ao trabalho de revisões de diferenciais e reposicionamento. O mais importante é que isso acontece junto a uma série de ações que a empresa vem tomando.

2-Que tipo de ações?
Unimos esse trabalho à entrega de novas versões de soluções existentes, novas soluções e novos serviços, como por exemplo, soluções fiscais e contábeis homologadas para todos os estados do Brasil. Tudo isso se alia ao reforço de nosso posicionamento que passamos a adotar dentro do mercado de distribuição. Vemos muita movimentação no mercado de tecnologia e a nossa empresa precisa se destacar como única no atendimento ao distribuidor brasileiro. Para se ter ideia, foi investindo cerca de um milhão nesse processo completo.

3- A logística tem obtido grande destaque nas soluções tecnológicas da empresa, por quê?
Exatamente pelas demandas vindas dos nossos clientes, percebemos que indústria exigiu indicadores dos distribuidores, como cobertura numérica, e eles precisam estar em mais pontos de venda. Para o distribuidor cumprir esse papel precisa chegar ao pequeno varejo que, muitas vezes, realiza compras fracionadas por falta de capital de giro.

4-Como fazer isso acontecer?
A logística ficou complexa e isso está diretamente a processos logísticos que trabalham para que não haja troca de produtos e perda no nível de serviço. Mais de 70% do custo de um distribuidor hoje está na logística e qualquer falha nesse processo representa um alto preço, por isso investimento para que esse processo se torne mais seguro e com qualidade.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.