A importância do uso dos dados no varejo

0 892

Por André Faria*

A tecnologia está presente em todos os momentos de nossa vida. O smartphone está sempre por perto, com múltiplas funções que vão além da comunicação. E a quantidade de dados que ele gera para as empresas é gigantesca, sendo essa uma das principais formas de se captar informações do seu consumidor, visando melhorar seus resultados.

Afinal, temos que utilizar o que está disponível e condiz com o nosso orçamento, sempre se diferenciando dos concorrentes. E uma das coisas que as empresas buscam, para isso, vem através da tomada de decisões baseadas em dados.

Esse é um dos maiores desejos das organizações modernas, segundo uma pesquisa realizada pela New Vantage Partners, que aponta que mais de 98% dos executivos de grandes empresas ao redor do mundo acreditam que criar uma cultura de decisão baseada em dados é muito importante para sua organização.

Porém, em contrapartida, com essa importância, vem a dificuldade de implementar isso em suas empresas. A mesma pesquisa mostra que apenas 30% das iniciativas realizadas nessa direção tiveram sucesso. Apesar de ser consenso a importância do uso dos dados para tomar decisões, ainda é muito difícil de colocar isso em prática.

E, se o varejo é um dos maiores produtores de dados do mundo, ainda há muito a se fazer para aproveitar todo esse potencial. Um exemplo de como o varejista pode utilizar os dados no seu dia a dia, é em sua estratégia de e-commerce.

André Faria, CEO da Bluesoft

Afinal, tão importante quanto a qualidade dos produtos que você possui, é ter uma divulgação efetiva do seu supermercado online. E nesse ponto, os dados são essenciais para que você tenha sucesso em seu marketing.

Por isso, com todo o cuidado e respeito às novas leis de proteção de dados, é importante o varejista definir uma boa estratégia de CRM e certificar-se de aproveitar os dados que gera em cada interação com seus consumidores para apresentar-lhes ofertas que sejam relevantes de acordo com seus comportamentos de compras, fazendo campanhas mais personalizadas. Essa é uma estratégia que vem tomando o espaço das campanhas em massa nos últimos anos.

Outro bom exemplo da aplicação de dados no varejo é na otimização de processos internos, como no caso da prevenção de perdas, redução de rupturas e otimização do sortimento. As perdas, por exemplo, são um dos maiores causadores de dores de cabeça para os supermercadistas, e, é importante monitorar frequentemente os números que envolvem todas elas no seu varejo.

Muitas empresas até investem em soluções de tecnologia, como plataformas de BI & Analytics, porém, não fazem o uso desses dados para o dia a dia. Gosto de comparar isso como pagar a mensalidade da academia, porém, não frequentá-la. Não basta ter a plataforma, é preciso usá-la com frequência e disciplina para trazer resultados reais para o negócio.

Poucas empresas realmente conseguem tomar as principais decisões importantes com base em dados, e abraçar essa oportunidade transformando esse método em parte da cultura da sua organização pode trazer um diferencial competitivo incrível.

Implementar uma cultura de uso dos dados em suas lojas vai muito além da tecnologia em si. É complexo e depende de vários fatores para dar certo, mas especialmente da cultura e das pessoas. E é por isso que eu deixo esse assunto para o meu próximo artigo aqui na Newtrade, não perca!

 

*André Faria é CEO na Bluesoft e colunista do NEWTRADE
Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.