Nestlé vai lançar hambúrguer vegetal nos EUA

0 88

Há três anos, hambúrgueres à base de vegetais da Beyond Meat chegavam às prateleiras do supermercado Whole Foods, no Colorado, nos EUA. Um mês depois, a startup Impossible Foods, que também investe nas carnes alternativas, emplacava seus produtos no menu de um restaurante em Nova York. A nova geração dos hambúrgueres vegetais tem sido um sucesso. A Impossible Foods terá seu produto vendido nas lojas da rede Burger King nos Estados Unidos, e a Beyond Meat acaba de realizar seu IPO, conseguindo a maior arrecadação na abertura de capital neste ano. Agora, a Nestlé também se prepara para entrar nesse mercado, lançando um hambúrguer vegetal nos EUA.

Com o nome de Awesome Burger, o novo produto foi desenvolvido pela Sweet Earth, empresa adquirida pela Nestlé em 2017. “Esse é um ótimo exemplo de uma pequena empresa, que prima pela agilidade, colaborando com uma grande corporação, que possui imenso conhecimento em processamento, pesquisa e desenvolvimento, afirmou o cofundador da Sweet Earth, Brian Swette, à Fast Company.

Assim como os concorrentes feitos pela Impossible Foods e Beyond Meat, o hambúrguer da Sweet Earth foi desenvolvido para se parecer e ter gosto de carne. Quando colocado na chapa, faz o mesmo som de um hambúrguer de carne. “É muito suculento, a cor se parece muito com a de carne, e se transforma com o cozimento”, diz Kelly Swette, cofundadora da empresa.

A receita foi desenvolvida de modo a tornar o alimento mais saudável do que a carne. O hambúrguer vegetal da Sweet Earth tem 28 gramas de proteína, comparado com 20 gramas de um hambúrguer de carne bovina. Para isso, usa ervilha amarela, rica em proteína. A empresa também escolheu usar ervilha em vez de soja por causa da sustentabilidade – o vegetal melhora a qualidade do solo onde é plantado e pode ser produzido localmente. Outro ingrediente-chave para conseguir o resultado é o trigo, que dá “a textura e a suculência que as pessoas esperam da carne”, afirma Kelly. O Awesome Burger tem 6 gramas de fibra (inexistente na carne) e é rico em ferro e vitamina C.

O hambúrguer da Nestlé foi desenvolvido em um ano, contra três anos necessários para desenvolver o Beyond Burger e cinco para o Impossible Burger. A velocidade pode ser explicada, em parte, pelo acesso aos recursos de pesquisa da da Nestlé.

Para Bruce Friedrich, diretor executivo da organização sem fins lucrativos Good Food Institute, a entrada da Nestlé nesse nicho não deve ameaçar as demais empresas. “É importante lembrar que esse mercado ainda está no começo. Estamos começando a lidar com a ideia de conquistar os carnívoros com produtos de base vegetal que imitam carne”, diz Friedrich. “Antes da Impossible e da Beyond, estimava-se que o mercado dos produtos que imitam fosse de US$ 1 bilhão a US$ 2 bilhões. Mas a questão central é que essas empresas mostraram que não estão competindo pela preferência dos vegetarianos. Estão competindo pelas vendas a todos os consumidores”, afirma.

Um relatório recente da Barclay prevê que o mercado de carne à base vegetal e de carne criada em laboratório será de US$ 140 bilhões na próxima década, representando 10% do mercado global de carnes.

Fonte Época Negócios
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.