Totvs – 728 x 90

Empresas criam uma edição da Oktoberfest para São Paulo

0 1.152

Foi em meio à tradicional Oktoberfest em Munique, na Alemanha, no ano passado, enquanto saboreava uma cerveja, que o presidente da Mercedes-Benz do Brasil, o alemão Philipp Schiemer, questionou o companheiro Walter Carvalheiro Filho, do WGroup, sobre a razão de São Paulo não ter um evento similar.

“São Paulo é o Estado brasileiro com maior número de indústrias alemãs depois da própria Alemanha e tem uma grande comunidade de alemães e descendentes; por que não há uma festa desse tipo, que divulga a cultura alemã?”, questionou. O executivo conhece a festa de Blumenau (SC), realizada desde 1984, mas via espaço para uma versão paulista.

Especializado em organização de eventos, Carvalheiro fez do comentário um desafio e, menos de um ano depois, São Paulo vai ter a primeira de uma série oficial da Oktoberfest. A festa que mostra a cultura alemã será realizada entre os dias 29 de setembro e 8 de outubro no sambódromo do Anhembi.

A Prefeitura colocou o evento no calendário da cidade e sua realização está garantida para os próximos quatro anos. Carvalheiro antecipa que pretende fazer dela uma festa anual, como ocorre com os italianos no Bairro do Bixiga e com os japoneses e chineses na Liberdade.

São Paulo já abrigou outros eventos que utilizaram o selo Oktoberfest, que é de titularidade pública, como o Carnaval, mas foram festas esporádicas, apenas em finais de semana, explica Carvalheiro. “Nós patenteamos o nome São Paulo Oktoberfest e a ideia é fazer a festa anualmente”, diz o presidente da WGroup, organizadora do evento. “Não é uma festa só para quem gosta de cerveja, mas é para toda a família, com comidas típicas, danças, shows de bandas de músicas alemãs e brasileiras e lazer para as crianças.”

Um diferencial em relação à Oktoberfest de Santa Catarina, a mais famosa do País, é que lá a festa é realizada em um pavilhão. A edição paulista será em área aberta e abrigará um parque de diversões com roda gigante, a exemplo do que ocorre em Munique, onde a tradicional festa começou há mais de 200 anos.

Investimento

Só a parte de infraestrutura do evento custará R$ 15 milhões e será bancada pela iniciativa privada e pela venda de ingressos. Entre os patrocinadores está a Mercedes-Benz, cujo presidente, além de incentivar a realização da festa, deu ideias ao projeto. “Num momento difícil como o que o Brasil passa, é um evento que vai ajudar a girar a economia, além de promover a cultura alemã”, diz Schiemer, que costuma frequentar a festa quando está em seu país natal. Juntando experiências anteriores, ele soma 18 anos de moradia no Brasil.

Para promover seus produtos, os ônibus da marca farão o transporte gratuito de participantes entre estações do Metrô e o Anhembi e furgões serão usados para venda de alimentos, os chamados “food trucks”. Automóveis Mercedes também serão expostos. O marketing mais chamativo, contudo, será o transporte dos barris de chope. “Na Alemanha, segue-se a tradição centenária de fazer o transporte por carroças, mas aqui vamos usar um caminhão”, conta Schiemer.

Segundo Carvalheiro, a festa deve gerar mil postos de trabalho. São esperados entre 120 mil e 150 mil participantes nos dez dias do evento. Desde julho, foram vendidos 20 mil ingressos, a preços entre R$ 50 (meia-entrada) e R$ 150. Para os dias 4 e 5, as entradas terão desconto de quase 60%.

A Oktoberfest de Blumenau recebe cerca de 500 mil pessoas em 19 dias. A festa de Munique, com duração de duas semanas, tem público de 6 milhões de pessoas e a de Stuttgart, de 5 milhões.

Besaliel Botelho, presidente da Bosch, diz que a fabricante de autopeças alemã também decidiu apoiar a iniciativa “por entender que a primeira edição da São Paulo Oktoberfest é uma maneira de ressaltar o vínculo social, econômico e cultural que existe entre ambos os países”. Segundo ele, haverá um espaço exclusivo para demonstrações de tecnologias da empresa, que produz itens como freios ABS.

Receita

A Ambev será a principal fornecedora de cerveja na São Paulo Oktoberfest. O grupo desenvolveu uma marca exclusiva para a festa, batizada de Brahma Märzen Lager, que segue receita da primeira bebida servida no festival alemão, que começou em 1810.

A Germânia, por sua vez, lançará uma cerveja especial com o título São Paulo Oktoberfest, que também será vendida apenas no evento. Ao todo, 20 fabricantes de cervejas artesanais participarão da festa, que também tem entre seus patrocinadores Walmart, Aurora, Peixe Urbano, Movida, Gol e Smiles.

Fonte O Estado de S.Paulo
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.