Cervejarias Cerpa e Cidade Imperial firmam acordo de industrialização na planta de Belém

0 212

As cervejarias Cerpa e Cidade Imperial firmaram contrato de parceria para a industrialização da linha de cervejas Império na unidade fabril da Cerpa localizada em Belém (PA). O acordo tem validade de dois anos, e começou a ser costurado depois que a consultoria Ejafac, liderada por Elias Azevedo, foi contratada pela Cerpa (em junho deste ano).

“O acordo foi benéfico tanto para a Cerpa, quanto para a Cidade Imperial, como deve ser, em última análise, uma parceria. Inicialmente faremos a industrialização das cervejas da marca Império em nosso parque industrial de Belém, mas o acordo poderá ter desdobramentos que melhorarão a presença da Cerpa nas regiões Sul e Sudeste com uma futura parceria de distribuição”, comentou Azevedo.

O acordo atende a necessidades complementares das duas empresas envolvidas. A Cidade Imperial tem registrado aumento da demanda por seus produtos da linha Império acima de sua capacidade de curto prazo de aumento de produção. A construção de uma nova unidade fabril na região Norte ou Nordeste, que atenda aos requisitos de qualidade da marca, pode demorar até dois anos.

A unidade fabril da Cerpa em Belém foi projetada para atender a uma demanda maior do que a atual, já prevendo a conquista de marketshare dos produtos Cerpa em todas as regiões do país. “O contrato com a Cervejaria Cidade Imperial garante melhor rentabilidade a nossa planta de Belém, até que nossos planos de reestruturação e de aumento de participação nos mercados do Sul e Sudeste estejam concluídos”, completou o executivo da Ejafac.

Jutta Seibel, acionista majoritária e Presidente da Cerpa, acredita que o plano de reorganização da companhia esteja sendo bem executado, e também enxerga como positiva a assinatura do contrato com a Cervejaria Imperial. “O aumento de produção deve puxar, também, um aumento de produtividade. Esse ciclo virtuoso gera eficiência e fortalece os pilares da nossa empresa. Juntas pelos próximos dois anos, Cerpa e Cidade Imperial serão mais fortes”, analisa a acionista.

 

Fonte Valor Econômico
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.