AB InBev, Microsoft, Google e Apple: empresas são afetadas negativamente pelo coronavírus

0 103

As dezenas de milhares de pessoas infectadas com o coronavírus não são as únicas vítimas da doença. No mercado financeiro, grandes empresas já mostram como impacto do surto está sendo negativo para os seus negócios.

A AB InBev, por exemplo, anunciou que o coronavírus será responsável por derrubar em 10% o lucro da empresa no 1º trimestre de 2020. De acordo com a companhia, a queda da venda de cerveja durante o Ano Novo Chinês foi um dos principais fatores para atrapalhar o avanço da fabricante das marcas Budweiser, Corona e Stella Artois.

A empresa disse que a doença reduziu em US$ 285 milhões sua receita na China nos primeiros dois meses deste ano, representando uma queda de 2,3% da receita do primeiro trimestre em relação ao ano passado.

Quem também registrou problemas com o coronavírus foi a Microsoft. A empresa de tecnologia fundada por Bill Gates anunciou que não deve alcançar suas metas, por conta do vírus. A companhia divulgou que a área mais afetada foi a divisão de produtos para uso pessoal. No mês passado, a Microsoft divulgou a expectativa de receita entre US$ 10,75 bilhões e US$ 11,15 bilhões. Até agora, entretanto, a companhia não divulgou novas projeções.

A Apple também afirmou que não deve alcançar as suas metas neste começo de ano. Segundo a empresa, o coronavírus gerou um impacto duplo na empresa: desaceleração nas fábricas da Apple na China e diminuição na demanda por parte da população chinesa.

Janet Yellen, ex-presidente do Federal Reserve, disse que, dependendo da extensão da epidemia do coronavírus, o impacto pode ser significativo o suficiente para levar os Estados Unidos a uma recessão.

No Brasil, o primeiro paciente foi oficialmente diagnosticado com o coronavírus na quarta-feira (26/02). No mesmo dia, a Bolsa brasileira despencou 7%, intensificada pelas perdas de Petrobras e Vale, que juntas perderam quase R$ 65 bilhões em valor de mercado.

Nesta quinta-feira (27/02), o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, afirmou que o coronavírus pode afetar o preço de commodities no país e o crescimento do mundo. Por conta disso, ele e a equipe econômica têm trabalhado para avaliar os efeitos do surto em relação às projeções de crescimento da economia brasileira em 2020.

“Se tivermos queda muito forte no crescimento mundial, afeta todo mundo e, claro, o Brasil também”, afirmou Mansueto. Por enquanto, a estimativa oficial é de avanço de 2,4% do PIB brasileiro neste ano.

Fonte Época Negócios
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.