Venda de chocolate cresce 54% na semana anterior à páscoa

0 59

Apesar da queda de 7% no primeiro bimestre de 2019, em relação a 2018, a venda – em valores reais, já descontada a inflação – de chocolates para a Páscoa foi positiva nos supermercados na semana que antecedeu a Sexta-Feira Santa, com aumento de 54% no período em comparação ao ano passado, que denota o reaquecimento da categoria, como apontam dados da Neogrid.

De acordo com o levantamento da empresa, os resultados poderiam ter sido mais positivos se alguns indicadores, como de ruptura, tivessem sido menores. O indicador, que mensura a falta do produto em estoque na loja, começou o mês de abril em 8,5% na categoria chocolates e chegou a atingir 9,6% durante a semana da Páscoa. “Quando o consumidor não encontra o ovo de Páscoa ou o chocolate que deseja, ele pode desistir da cesta inteira de compras na loja e procurar o produto no concorrente, resultando em perdas de vendas para aquele varejo – ou mesmo comprar o produto similar de outra marca, o que impacta a indústria”, aponta Robson Munhoz, vice-presidente de operações da Neogrid.

Outro indicador que mede a indisponibilidade de produto em gôndola e prejudica as vendas é o chamado Item sem Venda, que são produtos que constam com estoque em loja, mas saíram de seu comportamento normal de vendas. Entre as causas para um Item sem Venda estão a: a falta de reposição em gôndola de um produto que estava disponível no depósito; produto avariado, como ovos de Páscoa quebrados; preço não visível e má exposição, entre outros. Durante a semana que antecedeu o feriado, o indicador apontou 4,1% dos produtos da categoria chocolate com o problema.

Alta também nos peixes

Além dos tradicionais chocolates, o feriado de Páscoa também costuma aquecer outras categorias nos supermercados, como a venda de peixes. Com um começo de ano difícil e queda de 22,4% nas vendas (descontada a inflação) nos meses de janeiro e fevereiro em comparação a 2018, a categoria ganhou fôlego e pôde ficar otimista com um aumento de 7,4% nas vendas da semana anterior à Sexta-Feira Santa de 2019 em comparação com a mesma época em 2018.

 

 

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.