Micro e pequenas puxam alta e inadimplência das empresas bate recorde em agosto, revela Serasa Experian

0 49

O número, novo recorde da série histórica iniciada em março de 2016, foi puxado pelos micro e pequenos empreendimentos inadimplentes: 5,6 milhões que representam quase 95% do total. Na análise com agosto/18, o total aumentou 9,7% e a alta com relação a julho/19 foi de 1,7%.

Segundo o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, “a estabilização da inadimplência dos brasileiros tende a favorecer a consolidação deste indicador, em algum momento futuro, das empresas.

Isso ocorrerá porque quando uma pessoa física paga uma dívida, esta dívida tem sempre um credor – que é pessoa jurídica. No entanto, este movimento ainda deverá demorar a acontecer”.

Cresce participação de empresas mais antigas entre os inadimplentes em 2019
Considerando companhias de todos os portes, houve aumento da participação daquelas com mais de cinco anos de existência.

Os dados mostram que a evolução deste ano até setembro/19, comparada com dezembro/18, revelou uma maior variação entre aquelas com mais de 15 anos – 0,7 ponto percentual –, enquanto as com até cinco anos de existência apresentaram queda de quase 2 p.p.

Setor de serviços puxa alta entre micro e pequenos

Foram os micro e pequenos empreendimentos de serviços os maiores impactados pela inadimplência, representando 48,5% do total, com a maior variação com relação a agosto/18 – 11,1%. Na comparação com julho/19, o número foi de 2,1%.

A Indústria apresentou crescimento de 7,0% na análise ano a ano, ainda que tenha a menor representatividade entre aqueles com contas atrasadas. Na análise com julho/19, o setor aumentou 1,8%.

Já o Comércio tem representatividade de 42,6%, com altas de 6,4% no comparativo anual e 1,2% na análise mensal.

Inadimplência cresce 15,1% no Mato Grosso

O Estado do Mato Grosso apresentou maior variação no volume total de micro e pequenas empresas com dívidas negativas. Bahia, Pará e Rio Grande do Sul aparecem na sequência, sendo que nenhum Estado apresentou queda entre agosto de 2018 e 2019.

Planejamento de curto prazo ajuda empreendedores a traçar objetivos para o negócio

Se você questionar um empreendedor sobre qual o futuro da empresa, muito provavelmente ele saberá descrever os próximos passos e investimentos que fará para a expansão.

Mas os dados de inadimplência mostram que o caixa muitas vezes não acompanha os sonhos, o que acaba gerando contas acumuladas e atrasadas.

Para evitar esta situação, ter um planejamento criterioso no curto prazo, entendendo o fluxo de caixa, o ciclo operacional e financeiro da companhia é essencial.

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.