Bancos europeus se preparam para revolução em pagamentos online

0 129

Novas regras europeias sobre bancos e pagamentos online que deverão entrar em vigor no sábado marcam o início de uma revolução lenta que atingirá os bancos de varejo tradicionais e poderá forçar as instituições financeiras a repensar seus modelos de negócios, dizem reguladores.

A Payments Services Directive 2 (PSD2), que permite que os varejistas e os consumidores contornem os bancos ao autorizar pagamentos diretamente de contas pessoais, visa cortar custos e aumentar a escolha, ampliando a gama de empresas que oferecem serviços financeiros.

As regras da União Europeia, que também refletem avanços rápidos em tecnologia no setor bancário, como o uso de celulares, abrem a porta para aplicativos financeiros como Money Dashboard, Plum e Moneybox, bem como para gigantes de varejo estabelecidos como Amazon, Apple, Facebook e Google. “O desenvolvimento do mercado provavelmente será uma revolução lenta”, disse Karina McTeague, diretora de supervisão bancária de varejo no regulador britânico, a Financial Conduct Authority (FCA).

Especialistas da indústria disseram que a diretriz provavelmente terá enormes implicações para os bancos de varejo tradicionais. Embora as empresas com licenças PSD2 não sejam autorizadas a aceitar depósitos ou a conceder empréstimos, ignorar os bancos significa que cartões débito ou de crédito não serão necessários para a maioria das transações online de seus clientes.

Os clientes também poderão autorizar as empresas a acessarem suas contas para ajudá-las a gerenciar suas finanças, por exemplo guiando-as para os pontos de crédito mais baratos e consolidando dados de contas com mais de um banco, algo que os bancos resistem até agora. “A PSD2 é uma regulamentação revolucionária que pode sinalizar o fim do banco de rua no médio a longo prazos”, disse Michael McKee, diretor de regulamentação de serviços financeiros da firma de advocacia internacional DLA Piper.

A FCA disse que recebeu 40 pedidos de licença para serviços PSD2 no Reino Unido. Pelo menos uma dúzia podem estar em operação até sábado, disse. As novas regras colocam a UE na vanguarda dos esforços para rever o papel central dos bancos na forma como as pessoas pagam por bens e serviços online e incentivam a concorrência, dando aos clientes o direito de compartilhar os dados de suas contas.

Fonte Época Negócios
você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.