Shoppings aderem ao omnichannel para atender o novo consumidor

0 131

O omnichannel, a integração digital e as mudanças de comportamento do consumidor vêm atingindo o varejo como um todo, inclusive os shopping centers. Os consumidores olham no digital e compram na loja física, ou vice-versa. O preço tem que ser o melhor possível, com o cliente fazendo uma pesquisa meticulosa antes de comprar. Diante deste cenário, os malls vêm cada vez mais deixando de ser um centro de compras para se tornar um centro de lazer, serviços e alimentação.

Para tratar deste assunto, Laureane Cavalcanti, diretora de Marketing e Comunicação da Sonae Sierra Brasil; Marcelo Miranda, vice-presidente do Grupo Iguatemi e Pedro Daltro, CEO da CCP (Cyrela Commercial Properties) são os convidados para participar do painel “A terceira onda: como e porque os shopping centers estão investindo em vendas online” durante o LATAM Retail Show, com a curadoria de Luiz Alberto Marinho, sócio-diretor da GS&Malls.

“Durante muito tempo os shopping centers pensaram no e-commerce como inimigo, um concorrente que ameaçava seu negócio. Hoje, quando o omnichannel tornou-se obrigatório, essa visão começa a mudar. Várias redes de shopping centers estudam maneiras de integrar vendas online com o universo offline e, neste sentido, o Brasil é pioneiro, pois já possui projetos em andamento. Neste painel, vamos acompanhar os primeiros resultados de empresas como CCP e Sonae Sierra Brasil, bem como os planos do Grupo Iguatemi para o tema. Ainda vamos saber quais as principais tendências e vantagens destas iniciativas para shoppings e varejistas”, explicou Marinho.

Para atender a este novo cenário, os shoppings estão investindo em marketplaces com diferentes formatos. A Sonae Sierra Brasil está estruturando um marketplace para o Shopping Parque Dom Pedro, que costuma ser o primeiro a receber as novidades da empresa devido ao seu grande fluxo de visitantes, que ultrapassa 18 milhões de pessoas por ano. No formato planejado, os clientes poderão receber os produtos em casa por meio de delivery, retirar as compras no shopping, em uma área especialmente projetada para isso, ou por meio de um sistema de drive-thru, sem precisar sair do carro.

A princípio, 30 das 400 lojas do mall irão participar do projeto. O objetivo é criar um shopping virtual que cubra toda a região do Parque Dom Pedro, atuando nas cidades de Americana, Indaiatuba, Jundiaí e Paulínia. O shopping também estaria negociando com uma empresa de entregas para criar um centro de distribuição dentro de suas instalações.

A CCP desenvolveu outro formato de marketplace, que funciona para os malls: Shopping Cidade de São Paulo, Shopping D, Tietê Plaza Shopping e Grand Plaza Shopping, em São Paulo, Shopping Metropolitano Barra, no Rio de Janeiro, e Shopping Cerrado, em Goiás. Desenvolvido a partir do aplicativo On, que funcionava como uma espécie de concierge digital, o On Stores permite que centenas de varejistas que operam nos shoppings da rede tenham acesso a um e-commerce com grande fluxo de pessoas. As compras feitas no site devem ser retiradas nas respectivas lojas físicas que comercializam o produto.

O Grupo Iguatemi irá lançar neste semestre o Iguatemi 365, um marketplace em que clientes de todo o Brasil poderão comprar nas lojas dos shoppings do grupo e receber em casa. A proposta é oferecer uma curadoria de produtos, aproveitando a estrutura das lojas dos shoppings, integrando estoques e preços. O grupo poderá tornar a marca Iguatemi mais conhecida em regiões onde ela não opera. O e-commerce será voltado para um público mais premium, com a disponibilização de conveniências como o agendamento da retirada dos produtos e a possibilidade de experimentá-los no concierge do Shopping Iguatemi São Paulo. A plataforma irá oferecer também conteúdo editorial sobre os itens comercializados e as marcas.

Fonte Mercado & Consumo
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.