Ruptura cai 20% no varejo, aponta pesquisa

0 120

As festas de fim de ano sempre trazem grandes perspectivas de vendas para o varejo supermercadista. Porém, em 2015, em meio aos efeitos da crise econômica no país, as previsões para o setor não eram muito animadoras. Apesar do cenário, o varejo supermercadista buscou aumentar a disponibilidade de produtos nas prateleiras durante o mês de dezembro.

É o que indica um estudo da NeoGrid/Nielsen, que registrou no mês de dezembro queda da ruptura, índice que mede a porcentagem de produtos em falta nos supermercados. O indicador caiu de 12,03% em novembro para 9,65% no mês seguinte, um percentual de 20%. Além disso, a Associação Brasileira de Supermercados (abras), em dezembro, as vendas do segmento apresentaram alta real de 24,17% ante o mês anterior.

Segundo o diretor de relacionamento varejo e indústria da NeoGrid, Robson Munhoz, a queda na ruptura está relacionada à tentativa do varejo de melhorar os resultados de 2015. “Os supermercadistas resolveram abastecer as lojas, pois viram no período de festas, quando as pessoas recebem o 13º salário, uma oportunidade para aumentar as vendas e reverter os saldos, ainda que no último momento”, explica.

Outro motivo para a queda da ruptura é o aumento na cobertura de estoque, índice que aponta o número de dias que o estoque cobre a demanda do consumidor. De acordo com os estudos da NeoGrid, em novembro, houve um aumento de 44% do indicador, que passou de 92,95, em outubro, para 133,65 dias no mês seguinte.

O aumento da cobertura ocorreu porque houve melhor balanceamento do mix de produtos pelos varejistas, que precisam garantir que determinados itens, geralmente consumidos no período  de festas, estejam disponíveis nas prateleiras dos supermercados.

Os dados analisados são calculados pela solução NeoGrid Supply Chain Benchmark Powered by Nielsen, que traz o conceito OSA (On Shelf Availability), indicador que reúne informações homologadas de mais de 10 mil lojas de varejos do Brasil e que mede, diariamente, a disponibilidade de produtos na gôndola, a venda estimada por produto, por loja e por dia, as causas das faltas desses itens e como corrigi-las.

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.