Evino reforça frente B2B com investimento que deve ultrapassar R$10 milhões até final do ano

0 760

A Evino está reforçando a presença da empresa no offline com vendas nas gôndolas de supermercados, redes mercadistas, empórios e em cartas de vinhos de restaurantes e hotéis.

O investimento da Evino Empresas, nova unidade de negócios, deve ultrapassar os R﹩10 milhões até o final do ano, e a equipe da área, que hoje conta com 10 profissionais com experiência em relacionamento e vendas no varejo, assim como foco no cliente e na excelência do atendimento, deve dobrar.

A expectativa é que em 2021 a Evino Empresa represente de 8% a 10% do negócio do grupo, movimentando um pouco mais de 1,2 milhão de garrafas. “Depois de 8 anos selecionando mais de 40 mil garrafas de vinhos para os brasileiros, a Evino se tornou referência na importação e curadoria da bebida. Trouxemos rótulos inéditos que em poucos anos se tornaram queridinhos no país, e agora traremos esses vinhos para mais perto dos nossos clientes, por meio da parceria com varejistas e restaurantes. Os mais de 7 milhões de clientes que navegam na Evino são outra fonte de riqueza para nossa atuação com os parceiros. Sabemos onde estão os consumidores de vinho, quais seus hábitos e desejos, e com essas informações podemos atuar de forma precisa no mundo físico”, explica Marcos Leal, co-fundador da Evino e agora CEO da Evino Empresas.

Frente de atuação

A Evino Empresas, que atualmente já está presente em supermercados e grandes players como Sam’s Club, Carrefour, Sonda, tem como foco atuar em redes mercadistas e restaurantes de todos os tamanhos e regiões.

A estratégia da unidade de negócios para mercados é inserir novos rótulos dos best sellers do e-commerce, como o Anciano e o Portada (já foram vendidas mais de 1,5 milhão de garrafas de cada uma das famílias) nas gôndolas com identificação Evino, para facilitar a escolha do cliente, assim como elaborar cartas de vinhos online que podem ser acessadas por QR code para cada estabelecimento com informações sobre as opções disponíveis no local.

Além disso, a Evino Empresas capacitará os times que trabalham em restaurantes ensinando sobre vinhos e harmonizações. “Ao longo do ano passado, tivemos uma grande evolução do conhecimento e tecnologia do online, assim como da habilidade de construção de conteúdo, com as lives e cursos conduzidos pela nossa sommelière Jessica Marinzeck. Isso nos ajudará a apoiar pequenos e médios restaurantes com treinamentos e certificações para os garçons referentes aos vinhos da Evino vendidos no local”, afirma Rodrigo Anunciato, diretor comercial da Evino Empresas.

Nos supermercados, haverá exposição da marca Evino nas gôndolas, indicando que aquelas linhas são as mesmas que o consumidor encontraria no e-commerce, aumentando a proximidade com o brasileiro. Além disso, serão vendidos kits de vinhos para ocasiões especiais, apoiando varejistas e clientes na melhor escolha dos produtos.

“O ano passado foi um momento em que nos consolidamos como o maior e-commerce de vinhos da América Latina. Agora, com o início da vacinação, entendemos que o próximo passo natural era nos prepararmos para encontrar os consumidores também nos pontos físicos, estando cada vez mais próximos e presentes em todas as ocasiões”, afirma Leal. “Esse movimento vai diretamente ao encontro da nossa missão de democratizar o acesso do vinho no país, desmistificando a bebida agora em novos espaços e para novas pessoas”.
Movimentação do quadro executivo

Existia uma área na Evino que cuidava de vendas B2B e que, a partir de agora, se tornou uma unidade de negócios com o Marcos Leal, co-fundador e co-CEO, à frente dos negócios, a contratação de um time de profissionais experientes e projeções.
Com o reforço das operações B2B, Leal deixa as operações do e-commerce para assumir a frente da Evino Empresas. Rodrigo Anunciato, diretor comercial da nova unidade de negócios, atuará ao seu lado na missão de expandir e gerenciar os negócios da Evino Empresas.

No lugar de Leal, ficará Eduardo Souza, promovido de CMO para co-CEO da Evino, liderando as vendas no B2C em conjunto com o co-fundador Ari Gorenstein, que permanece no quadro executivo do e-commerce como co-CEO.

Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.