Carrefour vai assegurar o bem-estar dos suínos que comercializa com marca própria

0 94

O Carrefour assumiu o compromisso de assegurar o bem-estar dos suínos que comercializa na sua marca própria Sabor & Qualidade, de forma pioneira na cadeia de varejo no Brasil. Essa iniciativa está alinhada ao Act For Food, estratégia da companhia cujo propósito é promover a transição alimentar, aumentando o acesso do consumidor a alimentos saudáveis, com preços acessíveis, produzidos com responsabilidade socioambiental e controle de qualidade desde a sua origem.

O compromisso é resultado de articulação com a Proteção Animal Mundial, organização não-governamental com foco em bem-estar animal, que, desde 2018, presta apoio técnico para que a rede passe a adotar, a partir de 2020, altos níveis de qualidade de vida para os suínos que distribui. O compromisso vale para os produtos in-natura da marca própria Carrefour, que atualmente representam 74% da carne suína nos seus açougues.

“A preocupação com o bem-estar animal é um movimento global e estamos liderando esse processo no Brasil, com foco na adequação dos nossos fornecedores, visando sempre a um aprimoramento das boas práticas de manejo animal”, informa Lucio Vicente, head de Sustentabilidade do Carrefour.

Para garantir a boa saúde dos suínos, com condições físicas e psicológicas adequadas, além do respeito ao seu comportamento natural, o compromisso da companhia – que também se posiciona a favor dos animais em outros segmentos da indústria do agronegócio – abrange aprimoramentos em cinco tipos de manejo:

• Até dezembro de 2022, será feita a transição de 100% das matrizes suínas para gestação em grupo, permitindo, no máximo, 28 dias em gaiola;
• Até dezembro de 2022, será abolida a identificação do animal por meio do corte da orelha (mossa);
• Até dezembro de 2025, será abolida a castração cirúrgica e adotada a castração por vacina (imunocastração);
• O corte ou desgaste dos dentes dos animais será mantido apenas nos casos de extrema necessidade, quando forem verificados comportamentos agressivos entre os animais, como já é praxe;
• De forma permanente, as granjas de criação de porcos continuarão investindo em ambientes mais interativos para os animais, que simulem situações que ocorreriam na natureza (enriquecimento ambiental), como também já é rotineiro;

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.